Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

De contrato renovado, Soteldo festeja: 'Santos é minha casa'

Após negociação com o Atlético-MG não ir adiante, venezuelano assina novo acordo e afirma que sua vontade sempre foi de permanecer no time paulista

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2020 | 18h45

Com contrato renovado até dezembro de 2023, o atacante Soteldo afirmou que o desejo sempre foi permanecer no Santos. O acordo foi selado nos últimos dias após o Atlético Mineiro apresentar uma proposta para contratar o venezuelano. Ele ainda tem 50% dos direitos econômicos vinculados ao Huachipato, do Chile.

"A minha decisão sempre foi essa. Tinha coisas que precisava acertar com o Huachipato. Sempre falei que, por mim, eu ficava. Comigo o Santos não tem nada em aberto, era com o clube. Não sei o que dizia o contrato. Eu estava preocupado", afirmou o meia-atacante.

O venezuelano disse que aceitou o novo contrato após ouvir do presidente do clube, José Carlos Peres, de que tudo havia sido acertado com o Huachipato. Os chilenos tinham preferência pela transferência de Soteldo para conseguir lucrar. Agora alegam que o Santos tem de comprar o restante dos direitos econômicos.

"Ele me deu sua palavra que acertou. Com isso, eu fiquei tranquilo e pude renovar por um ano mais com o clube para seguir desfrutando e para que sigam desfrutando do meu futebol aqui e dando alegria ao torcedor do Santos", afirmou Soteldo. "Estou muito feliz por mim e pelo clube. O Santos é o time que acreditou em mim quando me trouxe para o Brasil e precisava retribuir de alguma forma."

O meia-atacante admitiu que o comportamento dos torcedores do Santos pelas redes sociais pesou na decisão de continuar na Vila Belmiro. "Essa força que os torcedores dão, admirando meu trabalho, me deixa muito feliz", disse o venezuelano, que também comentou sobre o interesse do Atlético Mineiro.

Soteldo conversou com o técnico Dudamel, hoje no clube mineiro e que trabalhou com o jogador na seleção da Venezuela. "A relação é muito boa com ele, conversamos aqui e na seleção, mas este é o meu clube. Aqui eu me sinto em casa. Santos é minha casa."

Sobre o técnico Jesualdo Ferreira, o venezuelano disse que o português trabalha de uma maneira bem diferente do antecessor, Jorge Sampaoli. "São treinadores diferentes. Sampaoli tinha uma relação e com Jesualdo é outra. Ele conversa muito comigo, pede paciência e fala que vou me adaptar o mais rápido possível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.