Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Santos e Palmeiras decidem Paulistão em duas partidas

Alviverde mandará jogo no Allianz: santistas querem atuar na Vila

O Estado de S. Paulo

19 de abril de 2015 | 21h36

Desde 1959, Santos e Palmeiras não decidem uma final de Campeonato Paulista. Naquela época, de um futebol ainda perto do amador, os rivais se enfrentaram em três ocasiões, com vitória do Palmeiras na última partida por 2 a 1. Depois de um domingo emocionante tanto no Itaquerão quanto na Vila Belmiro, as duas equipes voltam a se cruzar numa decisão estadual.

O Santos, dono da melhor campanha, fará a última partida em casa, na Vila, onde seus jogadores querem, ou em São Paulo, provavelmente no Pacaembu. O Palmeiras mandará seu jogo, já no próximo fim de semana, na sua Arena. Os horários das partidas ainda serão confirmados pela Federação Paulista nesta semana.

O Palmeiras foi o primeiro a se garantir na finalíssima, em jogo épico para seu torcedor. Foi ao estádio do Corinthians, onde o time montou uma fortaleza e ainda não tinha perdido nesta temporada, e arrancou empate por 2 a 2, resultado que levou a decisão para os pênaltis. O Palmeiras jogou melhor, apesar do 'branco' dado após abrir a contagem, quando sofreu dois gols relâmpagos, de Danilo e Mendoza. Nos pênaltis, o goleiro Fernando Prass evocou a categoria de São Marcos e defendeu as cobranças de Elias e Petros, garantindo o Palmeiras na final. O time ganhou por 6 a 5, só errou uma cobrança, com Robinho.

Na Vila, da mesma forma, o Santos se impôs diante de um São Paulo fragilizado e de campanha irregular. Ganhou por 2 a 1 e despachou o rival, que agora se afunda em crise e ainda tem de decidir sua sorte na Libertadores - enfrenta o Corinthians já nesta quarta-feira. Com a vitória, o Santos se credencia para mais uma final de Paulistão, a sétima seguida, com três títulos conquistados (Santo André, em 2010; Corinthians, em 2011; e Guarani, em 2012).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.