Santos e Palmeiras fazem decisão por vaga na Libertadores

Os dois times vêm de vitórias. Os santista bateram o Botafogo, já os palmeirenses derrotam o Grêmio

Amanda Romanelli e Sanches Filho, Estadão

12 de outubro de 2007 | 18h21

Em reta final de campeonato, partidas com confronto direto mudam de nome. Viram decisões. A Vila Belmiro, neste sábado, será palco de uma das várias finais que o Brasileirão terá até o encerramento de suas 38 rodadas. Santos e Palmeiras enfrentam-se de olho em uma vaga na Libertadores de 2008, separados por apenas um ponto - os donos da casa somam 51 ante 50 dos visitantes. As duas equipes vêm de vitórias. O Santos bateu o Botafogo por 2 a 1 na última rodada, com um gol no finzinho do jogo, no Engenhão. O Palmeiras fez boa apresentação contra o Grêmio - ganhou por 2 a 0 no Palestra Itália, marcando logo no início da primeira etapa. Tática que o técnico Caio Júnior espera repetir na casa do adversário. "Fazer um gol cedo nos dá tranqüilidade. Psicologicamente, isso muda muita coisa." O Santos tem mais uma decisão e vários desafios contra o Palmeiras. O principal será, depois de três tentativas frustradas, pela primeira vez chegar a quatro vitórias seguidas no Brasileiro, aumentando suas chances de se classificar para a Libertadores. Os outros são: parar Valdivia e Caio, os jogadores do Palmeiras que podem desequilibrar a partida, e ganhar o seu primeiro clássico paulista na competição.  "O jogo com o Palmeiras é importante, mas não decide nada. Os últimos classificados para a Libertadores só vão sair na penúltima rodada", desconversa Vanderlei Luxemburgo. O técnico santista procurou, durante a semana, fazer com que seus jogadores não se sintam pressionados pela obrigação de derrotar o Palmeiras em razão de o jogo ser na Vila Belmiro.SantosFábio Costa; Baiano, Domingos, Marcelo e Alessandro; Adoniran, Rodrigo Souto, Pedrinho e Rodrigo Tabata; Moraes (Renatinho) e Kléber PereiraTécnico: Vanderlei LuxemburgoPalmeirasDiego Cavalieri; Paulo Sérgio, Gustavo, Dininho e Valmir; Pierre, Makelele, Valdivia e Caio; Luiz Henrique e RodrigãoTécnico: Caio JúniorÁrbitro: Salvio Spínola Fagundes Filho (Fifa-SP)Estádio: Vila BelmiroHorário: 18h10TV: SporTV Até o momento de entrar em campo, o time santista será uma incógnita. No único coletivo da semana, quarta-feira à tarde, Luxemburgo experimentou duas formações no meio-de-campo. A primeira com Rodrigo Souto, Adoniran, Petkovic e Vítor Júnior e na parte final, com Pedrinho e Rodrigo Tabata substituindo Pet e Vítor Júnior. Deve prevalecer a segunda escalação, até porque Pedrinho fez gols nos dois últimos jogos contra seu ex-time - 3 a 3 no Campeonato Paulista e 2 a 2 no primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Tabata deve ser o outro meia porque foi decisivo nas vitórias diante de Cruzeiro e Botafogo. Sem alternativas, Luxemburgo deve mesmo improvisar Alessandro na lateral-esquerda, com Baiano voltando à direita. "Não tenho dificuldade para marcar pela esquerda. O problema é ir ao ataque e cruzar", disse o destro Alessandro. Ele deve jogar apenas do meio-de-campo para trás, enquanto Baiano terá maior liberdade para atacar.  Adoniran, de 22 anos, será mais uma vez o substituto de Maldonado. O jovem atleta terá a difícil missão de parar Valdivia. "Mas o Caio é um jogador tão perigoso quanto Valdivia e pode decidir o jogo a qualquer momento." No ataque, Kléber está de volta após cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Embora o técnico Caio Júnior tenha treinado a mesma formação durante a semana, não quis se arriscar a confirmar o time. "Como o Luxemburgo tem essa coisa de mudar em cima da hora, eu também posso fazer isso", afirmou, mantendo no ar o clima de decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.