Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Santos e São Paulo chegam a acordo por Vitor Bueno, mas falta liberação da Ucrânia

Negociação depende do envio de documentação até a meia-noite desta quarta-feira

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2019 | 22h40

Santos e São Paulo chegaram a um acordo pelo empréstimo do meia Vitor Bueno. Para ser finalizada, a negociação depende do envio do documento de transferência pelo Dínamo de Kiev até 23h59 desta quarta-feira, quando se encerra a janela de transferência para atletas vindos do exterior.

Vitor Bueno pertence ao Santos, mas está emprestado até o meio de 2020 para clube ucraniano. Após a chegada do documento do exterior, o jogador será novamente registrado pelo Santos e transferido para o São Paulo. A negociação nacional pode ser realizada nesta quinta-feira, independentemente da janela europeia.

O São Paulo abre mão dos 10% a que teria direito sobre o valor pago pelo Santos ao Krasnodar (RUS) pela compra de Cueva. O valor equivale a 700 mil dólares (R$ 2,7 milhões). O jogador aceitou reduzir o salário que receberia no São Paulo para que R$ 600 mil sejam repassados ao Santos ao longo do período de empréstimo.

O objetivo inicial do presidente do Santos, José Carlos Peres, era conseguir um valor de compra fixado para Derlis González, que foi trocado por Vitor Bueno até junho de 2020. O dirigente não conseguiu.

No meio da tarde desta quarta-feira, Raí, diretor executivo de futebol, classificou o negócio como "difícil" exatamente por causa da falta de tempo hábil. "Em relação ao Vitor Bueno, (o negócio) dificilmente será concretizado. Tivemos interesse, fizemos um esforço, mas é difícil", afirmou o dirigente durante apresentação do volante Tchê Tchê, no CT da Barra Funda, em São Paulo.

Vitor Bueno atuou por 80 minutos em quase oito meses. Uma lesão muscular na intertemporada dificultou a afirmação no elenco. Embora não tenha sido indicado diretamente pela comissão técnica, Cuca aprovou a negociação que estava em curso.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.