Santos e Viola não entram em acordo

Viola está mesmo fora da Vila Belmiro e agora é em definitivo. O clube e o jogador não chegaram a um acordo sobre os salários e o atacante não fará parte dos planos de Celso Roth para o Rio-São Paulo 2002. O contrato do jogador venceria dia 22, mas foi rescindido dia 23 do mês passado, fato que surpreendeu o atleta que chegou a se apresentar quarta-feira, como se nada tivesse ocorrido. As negociações foram reiniciadas e o desfecho ocorreu na sexta-feira à noite, quando Leila, mulher e procuradora de Viola, avisou à diretoria que as bases salariais propostas não interessavam. Diante disso, foi informada que os entendimentos estavam encerrados.Com mais este desfalque, os santistas correm atrás de jogadores para que Roth possa montar o elenco e disputar com chances o Rio-São Paulo. O mais cotado é o meia Alex, do Cruzeiro.O grupo de atletas que participa a partir deste sábado da pré-temporada em São Pedro é insuficiente para montar um time completo. Os entendimentos estão sendo mantidos em sigilo absoluto, mas o clube procura também pode realizar algumas trocas. Um exemplo é o lateral Rubens Cardoso, que interesse ao Grêmio e ao Cruzeiro, e que poderá ser envolvido na transação de Nenê ou Marinho, do clube gaúcho, ou com Oséas, que ainda não havia se apresentado ao time de Minas Gerais.Os dirigentes já iniciaram os entendimentos com Robert para a renovação do contrato que vence mês que vem, mas ele pode também ser envolvido em alguma outra transação. Os santistas sonham com Vampeta, ao mesmo tempo em que o meia interessa ao Flamengo. A maior dificuldade encontrada nessas negociações é o teto salarial fixado para o primeiro semestre, que não passa de R$ 80 mil mensais.

Agencia Estado,

05 de janeiro de 2002 | 11h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.