Santos empata com Náutico e fica fora da Sul-Americana

Pernambucanos permanecem na Série A, em grande atuação do goleiro Eduardo, que parou Kleber Pereira

André Avelar , Agencia Estado

07 de dezembro de 2008 | 19h27

O Santos se despediu do Campeonato Brasileiro com um empate por 0 a 0 com o Náutico. Jogando na Vila Belmiro, os donos da casa pressionaram os visitantes, mas não conseguiram sair da igualdade no placar. Com o resultado, os pernambucanos permanecem na elite do futebol nacional. Com o término da competição, Vasco e Figueirense junta-se a Ipatinga e Portuguesa e vão disputar a Série B em 2009.Veja também: São Paulo é campeão brasileiro pela 6.ª vez na história Brasileirão 2008 - Classificação Brasileirão 2008 - Resultados Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Além da classificação à Copa Sul-Americana, o Santos precisava esquecer um péssimo ano. Depois de fracassar no Campeonato Paulista, cair nas quartas-de-final da Libertadores e lutar até a penúltima rodada contra o rebaixamento, os jogadores buscavam a vitória e pressionaram os visitantes já no início do jogo. Com 21 gols na competição, um a mais que os atacantes Washington (Fluminense) e Keirrison (Coritiba), quando começou a 38.ª rodada, Kléber Pereira buscava confirmar a condição de artilheiro e tratou logo de criar as suas oportunidades. Apesar de antes do jogo dizer que não se importava com tal marca, era clara a ansiedade do atacante. "A artilharia é importante, mas o mais importante é procurar fazer uma boa partida e conseguir a vitória", garantia o jogador.ARTILHEIRO X GOLEIROE o jogo marcou um duelo entre o atacante e o goleiro do time pernambucano. Em busca de seu recorde pessoal, além de claro, ajudar o Santos, o atacante arriscou. Bateu de fora da área, trombou com os zagueiros, se jogou na área pedindo pênalti e, ainda cobrou faltas - algo raro na carreira do jogador. Em uma delas, aconteceu a melhor chance dos donos da casa. Eduardo não segurou o chute e, na sobra, Robson mandou para fora.  Santos 0 Fábio Costa; Pará, Domingos, Adaílton e Kleber (Quiñonez); Brum, Souto, Bida e Molina     (Fábio Santos); Robson (Lima) e Kléber Pereira    . Técnico: Márcio Fernandes  Náutico 0 Eduardo, Ruy, Vagner, Titi     e Anderson; Adriano     (Everaldo), Ticão    , Derlei e Felipe (Geraldo), William (Eré) e Clodoaldo. Técnico: Roberto Fernandes Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF)Renda: R$ 79.612,00Público: 14.121 pagantesEstádio: Vila Belmiro, em Santos (SP)Na volta do intervalo, os dois times esfriaram o ritmo da partida e trocaram passes no meio-de-campo, até que Kléber Pereira usou da experiência e tentou surpreender o goleiro Eduardo. O atacante viu o goleiro adiantado e tentou de cabeça encobrir o goleiro, que se recuperou e fez boa defesa.Com os gols de Washington (no empate por 1 a 1 contra o Ipatinga) e Keirrison (na derrota por 4 a 3 para o Sport), a briga pela artilharia estava empatada, todos com 21 gols. O que deu ânimo ainda maior ao atacante do Santos.E o jogador, quem mais dava trabalho a zaga adversária, teve tempo de perder outro gol em menos de cinco minutos. O jogador recebeu ótimo passe de Molina, invadiu a área, mas chutou em cima do goleiro. O gol parecia estar amadurecendo, mas não aconteceu. Com os resultados, o Santos encerrou o ano fora da Copa Sul-Americana de 2009, mas livre da zona de rebaixamento, que tanto ameaçou ao longo da competição. Apesar de tudo, de bem com a torcida, que chegou a aplaudir o time ao final do jogo. Ao atacante Kléber Pereira, depois de desperdiçar algumas oportunidades, restou dividir a artilharia da competição com os outros dois concorrentes.Sérgio Castro/AENo fim do jogo, os jogadores do Náutico se reuniram ainda dentro do gramado e, em uma corrente, agradeceram a permanência na Série A.COISA FEIA Já no fim do jogo, o técnico Roberto Fernandes, do Náutico, protagonizou uma cena lamentável. Irritado com os cinco minutos de acréscimo assinalados pelo árbitro Sérgio da Silva Carvalho, arrumou confusão e acabou sendo expulso de campo. No último lance, foi a vez do goleiro Fábio Costa aparecer. Ele foi para área adversária e tentar cabecear uma bola cruzada por Rodrigo Souto. De nada adiantou, prevaleceu o empate na Vila Belmiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.