Santos empata e praticamente dá adeus ao Campeonato Paulista

Time da Vila Belmiro não realiza uma boa partida e fica no 1 a 1 com o Rio Claro, o primeiro clube rebaixado

André Rigue, estadao.com.br

29 de março de 2008 | 20h07

O Santos tropeçou neste sábado ao ficar no 1 a 1 com o fraco time do Rio Claro no Estádio A. Schimidt, em partida válida pela 18.ª rodada do Campeonato Paulista. Com o resultado, o clube da Vila Belmiro praticamente ficou sem chances de avançar as semifinais da competição.  Veja também: Classificação Calendário / Resultados Leão: 'Não estávamos iluminados para definir a partida' Além de ter uma série de cinco vitórias seguidas interrompida, o Santos chegou a 30 pontos e depende de uma grande combinação de resultados para avançar. O clube só poderia chegar ao quarto lugar, uma vez que Palmeiras (classificado), Guaratinguetá e Ponte Preta possuem pontuação superior. O Rio Claro, por sua vez, chegou a 13 pontos e foi matematicamente rebaixado à Série A-2 do futebol paulista. O time foi o primeiro a cair. Sertãozinho, Rio Preto, Guarani e Juventus disputam as outras três vagas, que só serão definidas na última rodada, que acontecerá no próximo fim de semana. FALHAS DE LÁ, FALHAS DE CÁO técnico Emerson Leão não pôde contar no jogo deste sábado com o zagueiro Betão, expulso contra o Corinthians, e o volante Marcinho Guerreiro, que recebeu o terceiro cartão amarelo no clássico. Ambos tiveram de cumprir suspensão automática. Em contrapartida, o meio-campo contou com o retorno do volante Rodrigo Souto. Mesmo com as mudanças, o Santos manteve o padrão tático dos últimos jogos, com um time pegador e rápido no contra-ataque. O Rio Claro, por possuir jogadores de baixa qualidade técnica, sofreu com a marcação santista, principalmente os zagueiros Dão e Douglão, que sempre entregaram quando pressionados pelos atacantes santistas. E foi numa falha do Rio Claro que o Santos abriu o placar. Logo aos 11 minutos, Dão perdeu a bola e viu a zaga de seu time ser envolvida pelo rival. Em cruzamento, o colombiano Molina cabeceou e acertou o travessão. O rebote sobrou para Kléber Pereira, que completou para o fundo das redes - foi o 12.º dele, artilheiro do Paulistão. A ruindade dos jogadores do Rio Claro é o reflexo do time no Paulistão. Não é por acaso que o clube é o lanterna. O Santos só não ampliou o marcador porque Kléber Pereira perdeu um gol na cara do goleiro Gilson aos 31 minutos - o atacante chutou para fora após receber passe de Sebastián Pinto, que roubou a bola depois que Douglão caiu sentado. Com tantos erros do lado do Rio Claro, Fábio Costa, que realizava uma ótima partida, decidiu contribuir. Aos Rio Claro1Gilson; Dão, Douglão e Peruíbe; Ivan, Cléber Gaúcho    , Silas (Luis Fernando), PC (Guilherme) e Toninho; Mirandinha e LucianoTécnico: Edu MarangonSantos1Fábio Costa; Adoniran, Domingos    , Marcelo     e Kléber    ; Adriano (Fabão), Rodrigo Souto, Wesley e Molina (Renatinho); Sebastián Pinto (Vítor Júnior) e Kléber PereiraTécnico: Emerson LeãoGols: Kléber Pereira, aos 11, e Ricardinho, aos 41 minutos do primeiro tempoÁrbitro: Flávio Rodrigues GuerraPúblico: 5.663 pagantesEstádio: Dr. Augusto Schimidt Filho41 minutos do primeiro tempo, o goleiro engoliu um tremendo frango em chute de primeira de Mirandinha - ele caiu no chão, mas a bola bateu em sua perna e entrou. MORRERAM ABRAÇADOSNo segundo tempo, Santos e Rio Claro decidiram ir para o tudo ou nada. O jogo foi dramático e quente. Logo aos 4 minutos da etapa complementar, o time alvinegro perdeu uma ótima oportunidade. Kleber Pereira encheu o pé e o goleiro Gilson rebateu. Molina pegou o rebote, mas levou azar ao ver Dão salvar o Rio Claro. Leão ficou irritado com os atacantes e pediu melhor pontaria. O técnico, que também é acostumado a reclamar da arbitragem, curiosamente ficou calado ao ver Flávio Rodrigues Guerra anular um gol legal do Rio Claro aos 14 minutos - ele marcou impedimento de Dão, que estava na mesma linha antes de cabecear. Fora o susto do gol anulado, o Santos dominou completamente o segundo tempo e só não venceu por ineficiência de seus atacantes e, também, pela boa atuação do goleiro Gilson, que salvou o Rio Claro em pelo menos três lances. O lance mais incrível foi aos 29 minutos, quando pegou um chute de primeira de Rodrigo Souto dentro da área.

Tudo o que sabemos sobre:
Paulistão A-1Santos FCRio Claro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.