Santos emperra e empata com Fortaleza

A estréia de Nelsinho Baptista e do quadrado mágico terminou em zero. Para o Santos e para o Fortaleza. Muito pior para o Santos, que perdeu dois pontos em casa no momomento em que o campeonato se encaminha para seu terço final.Uma vitória do Inter neste sábado sobre o Fluminense deixará os gaúchos na liderança e seis pontos na frente do Santos. ?Não foi um resultado bom, mas foi apenas o primeiro jogo. Vamos melhorar?, disse Cláudio Pitbull. Na terça-feira o Santos recebe o São Caetano, que ontem venceu o Atlético-MG por 3 a 1. O jogo começou com o quadrado mágico do Santos ? Giovanni, Ricardinho, Cláudio Pitbull e Luizão ? mostrando muita técnica e vontade de definir logo a partida.O primeiro lance chegou com menos de dois minutos. Giovanni tocou de calcanhar para Paulo César, que lançou Cláudio Pitbull. O chute cruzado passou perto e Luizão chegou atasado. Aos oito, Giovanni ajeitou de peito para Luizão, mas Bosco se antecipou e impediu que a bola chegasse ao matador.Depois de dez minutos o quadrado do Fortaleza, que não tem nada de mágico, equilibrou o jogo. Com três volantes ? Dude, Erandir e Hernani ? fortes na marcação e com boa saída de bola, o Santos passou a ter dificuldades.Aos 11 minutos, Alex Afonso recebeu na área e não conseguiu a virada. Aos 14, Chiquinho chutou de longe, para fora. E aos 18 Alex Afonso chutou para fora.Apesar do bom posicionamento do Fortaleza, o Santos continuava dono das maiores oportunidades. Algo normal para quem conta com Giovanni.Aos 22 minutos, ele desviou com a cabeça um cruzamento de Kléber e serviu Luizão, que chutou forte, para fora. Luizão passou para Cláudio Pitbull, aos 27 minutos, mas ele errou. E, aos 30, Giovanni errou uma tentativa de bicicleta.Houve ainda alguns contra-ataques do Fortaleza e uma cobrança de falta de Ricardinho, que foi para fora. Domínio do Santos, mas a certeza de que o adversário era um time bem montado. Nada de bobo.O segundo tempo foi pior para o Santos. Giovanni cansou-se e saiu. Luizão cansou-se e saiu. As melhores chances foram com Cláudio Pitbull, mas nada de gol.E à torcida, que ansiosamente esperava pelo quadrado mágico, restou incentivar Geílson e Basílio. Talvez as mudanças de comando e de jogadores tenham sido muito precipitadas.

Agencia Estado,

01 de outubro de 2005 | 20h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.