Arquivo/AE
Arquivo/AE

Santos encara reservas do Corinthians na Vila Belmiro

Time de Vágner Mancini quer a 'revanche' da derrota no Paulistão; equipe de Mano pensa na Copa do Brasil

Fabio Hecico e Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

30 de maio de 2009 | 19h46

Chance igual ainda não houve. Encarar um time só de reservas e em seus domínios era tudo o que o santista sonhava para ver sua equipe vencer o Corinthians pela primeira vez no ano, após duas derrotas, um empate e a perda do título paulista para o oponente. Neste domingo, tudo será possível, às 16 horas, na Vila Belmiro, pelo Brasileiro, já que Mano Menezes não relacionou nenhum titular para o confronto, pensando na Copa do Brasil. O clássico terá cobertura do estadao.com.br e transmissão da Rádio Eldorado/ESPN - AM 700 e FM 107,3, através do território Eldorado.

Veja também:

linkMano 'alfineta' Luxemburgo e defende Keirrison e Diego Souza

especial Visite o canal especial do Brasileirão

especial Jogue o Desafio dos Craques

lista Brasileirão - Calendário

tabela Brasileirão - Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão 

Com o Corinthians "entalado na garganta", palavras suas, o técnico Vágner Mancini muda o Santos para, enfim, comemorar um triunfo diante do rival.

Molina, em grande fase, é o novo titular, enquanto Neymar vai para o banco. Kléber Pereira será o único atacante, mas o esquema 4-5-1 é ofensivo, porque os três meias - Madson, Paulo Henrique Lima e Molina - movimentam-se muito, chegam à frente e sabem finalizar.

O clássico de hoje não define nada e vale mais pela tradição e pela oportunidade que o Santos terá para somar mais três pontos e se fixar na parte de cima da classificação. Até aqui o seu saldo no Brasileiro é positivo: dois empates e uma goleada diante do Fluminense, no Rio.

Mancini vem repetindo que a chance de sua equipe chegar entre os primeiros no Nacional é ter aproveitamento de no mínimo 70% dos pontos agora, enquanto os principais concorrentes estiverem envolvidos na Libertadores ou na Copa do Brasil. "Precisamos criar uma gordurinha para poder gastar lá na frente, quando a competição estiver mais equilibrada."

A ausência confirmada de Ronaldo (suspenso e contundido) e a informação de que Mano vai escalar um time só de reservas tira parte do encanto da partida porque derrotar o Corinthians nessas circunstâncias não tem a mesma importância da vitória e do empate do adversário nas finais do Paulista.

Temendo que os jogadores ficassem desmotivados por não enfrentar os principais jogadores corintianos, Mancini fez preleções mostrando que com o time B pode ser até mais difícil que o titular. "São todos bons jogadores, acostumados ao trabalho de Mano há mais de um ano e que precisam aproveitar a oportunidades porque vão ter poucas chances de mostrar serviço no futuro. Acredito até que o Santos poderia ter mais facilidade diante dos titulares, pois o foco deles está na Copa do Brasil e o pensamento no Vasco."

Mano minimiza o fato de escalar reservas e até ironiza quanto ao pensamento dos santistas de vingança. "O título não tem mais como descontar, já aconteceu, o Corinthians já é o campeão", afirmou. O treinador também não admite dizer que sua equipe entrará em campo inferiorizada. "Quem veste a camisa do Corinthians sabe da importância que é e tem competência para defendê-la. Vai ser uma partida altamente competitiva, uma disputa forte."

A aposta do corintiano é no centroavante Souza, que desencantou na rodada anterior do Nacional, diante do Barueri, e substituiu bem Ronaldo diante do Vasco, na quarta-feira, pela Copa do Brasil. O atacante, apesar de estar evitando as entrevistas, garante estar empolgado com o bom momento e espera fazer com que o clássico vire seu momento de redenção. Apoio ele vem recebendo, resta saber como responderá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.