Arquivo/AE
Arquivo/AE

Santos enfrenta Internacional em partida vital na Vila

Equipe santista precisa da vitória em casa para encostar nos primeiros colocados do Campeonato Brasileiro

Sanches Filho, Agencia Estado

26 de agosto de 2009 | 08h10

Não é Paulo Henrique Lima, Neymar e nem Kléber Pereira. Para Vanderlei Luxemburgo, a torcida é quem poderá levar o Santos à vitória contra o Internacional, nesta quarta-feira, às 21 horas, na Vila Belmiro, em jogo adiado da 16.ª rodada do Campeonato Brasileiro. O técnico espera que o estádio volte a ser o caldeirão de tempos atrás, para que o adversário sinta a pressão, e que o torcedor incentive o time até mesmo nos erros e tenha paciência se o gol demorar a sair.

Veja também:

linkInternacional tenta retornar ao G-4 do Brasileirão

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

O comandante santista admite que o comportamento da torcida é de acordo com a produção da equipe e vai fazer a sua parte apostando mais no ataque e tirando o volante Germano para escalar o meia Robson. Outra novidade será a volta de Léo, recuperado de contratura muscular na coxa esquerda, à lateral esquerda.

"A partida contra o Internacional será a primeira de cinco decisões que teremos. O pensamento de classificação para Libertadores passa por aí. Por isso, o ambiente tem que ser de decisão, com todos acreditando que podemos conquistar os três pontos contra um adversário direto", pregou Luxemburgo, nesta terça.

Luxemburgo gastou boa parte do coletivo desta terça, no CT Rei Pelé, para ensaiar jogadas de bola parada no ataque. George Lucas e Madson, pela direita, e Robson, pela esquerda, levantavam a bola para o aproveitamento de cabeça de Fabão, Paulo Henrique Lima, Kléber Pereira, Rodrigo Souto e Rodrigo Mancha.

Outra preocupação do técnico foi exigir atenção para evitar contra-ataques dos gaúchos. Ele explicou que resolveu trocar um volante de marcação por mais um meia depois de analisar os desfalques do adversário. E não gostou de ouvir que Robson é um jogador que só joga bem quando entra no segundo tempo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.