Santos enfrenta Náutico e projeta uma arrancada final

O Santos pretende começar com uma vitória neste sábado, às 18h30, contra o lanterna Náutico, na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE), a sua melhor sequência no Campeonato Brasileiro com a soma de pelo menos 19 pontos em 27 possíveis. Após o empate por 0 a 0 contra o Internacional, na Vila Belmiro, a maioria dos jogadores concluiu que o time se livrará sem muito esforço de qualquer risco de ser rebaixado à Série B de 2014 e que a vaga para a Copa Libertadores ficou impossível.

SANCHES FILHO, Agência Estado

19 de outubro de 2013 | 08h44

Com o intuito de manter o grupo motivado, Claudinei Oliveira estabeleceu como última missão santista na competição o aproveitamento de 70% nas nove rodadas restantes. "O Santos não pode achar que está batendo uma bolinha e que daqui para frente vai jogar por jogar. Se pensarmos assim, a situação pode se complicar. Ainda não estamos fora da Libertadores e nem livres do rebaixamento. Temos de pontuar e pensar em coisa grande. Você tem de fazer acontecer agora para não lamentar lá na frente", disse o treinador santista, após o treino desta sexta, no CT Rei Pelé.

O técnico acredita que se o Santos continuar com a determinação demonstrada em algumas partidas e cumprir a meta, terá uma pequena chance de ainda se classificar para a Libertadores, dependendo do comportamento dos concorrentes que estão acima. "Já não dependemos apenas de nós para conseguir a vaga", destacou.

Apesar de o Santos, há pouco mais de três semanas, ter apenas empatado por 1 a 1 contra o mesmo Náutico na Vila Belmiro, os jogadores não admitem outro resultado que não seja a vitória no encontro deste sábado. Mesmo assim, Claudinei Oliveira alertou para o perigo de enfrentar um adversário que joga sem responsabilidade. "O Náutico deve jogar solto e arriscar mais, o que vai ser perigoso para nós".

O time volta a jogar completo com a volta dos laterais Cicinho (cumpriu suspensão contra o Internacional por sido expulso diante da Ponte Preta) e Eugênio Mena (ficou fora dos três últimas partidas porque estava na seleção chilena). Montillo, que foi decisivo na vitória contra a Ponte Preta e jogou bem também diante do Internacional, vai continuar atuando mais avançado, sem ter de voltar ao meio de campo para ajudar na marcação. "Vamos jogar no esquema 4-2-2-2, com dois atacantes abertos. Montillo será um falso 9, flutuando. Enquanto ele não estiver 100% não tem sentido colocá-lo com função tática de marcação. A ideia é sacrificar pouco Montillo para que ele resolva quando tiver a bola", disse o Claudinei Oliveira.

Para que Montillo dose as energias sem causar prejuízo à equipe, Éverton Costa vai correr por ele. O atacante é o jogador mais contestado pelo torcedor santista desde a derrota contra o Coritiba, mas continua como titular. Claudinei Oliveira reconhece que Éverton não é bom finalizador, mas alega que taticamente ele ajuda muito o time.

Outro motivo para manter Éverton Costa no time é que neste sábado ele terá boa oportunidade de marcar o seu segundo gol em 15 jogos com a camisa santista porque o Náutico já foi vazado 55 vezes no atual Brasileirão e tem saldo negativo de 36 gols. Com campanha pífia, o time pernambucano acumula 20 derrotas, ganhou apenas quatro jogos e empatou outras quatro partidas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoSantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.