Santos entra em alerta pelo Paulistão

O Santos está invicto no Paulista, mas os três empates para times considerados pequenos acenderam o sinal amarelo na Vila Belmiro. Afinal, o São Paulo já abriu quatro pontos de vantagem e um novo tropeço pode complicar as coisas.A derrota para o Bolívar também preocupa, a ponto de terem começado os comentários sobre a instabilidade do técnico Oswaldo de Oliveira, prontamente desmentidos nesta segunda-feira mesmo pelo presidente Marcelo Teixeira. O dirigente negou também qualquer contato com o argentino Carlos Bianchi. "Creio que ele não volte a trabalhar tão cedo", disse.Teixeira acredita que seja preciso dar tempo para Oswaldo de Oliveira trabalhar e que a cobrança de resultados pela torcida é normal. "Mas, ele ainda desenvolver seu potencial". Citou o pouco tempo para a preparação física. "O trabalho ainda está no início e a equipe sentiu muito na parte física. Houve contusões importantes e isso tem que ser levado em consideração". Mais: a troca de técnico, quando Vanderlei Luxemburgo se transferiu para o Real Madrid também pesou no elenco. "Não houve muito tempo para assimilar essa mudança, ainda mais do modo como foi".Reforços - Nesta quarta-feira o time enfrenta o Rio Branco, em Americana, e o treinador poderá contar com dois reforços de peso: os meias Ricardinho e Fábio Baiano voltaram a treinar com bola e têm boas chances de entrarem nessa partida em que só uma vitória pode aliviar o ambiente.O volante Fabinho, que será submetido a uma cirurgia no joelho, vai desfalcar o time por 15 a 20 dias e deverá ser substituído por Bóvio. "O Fabinho é muito importante para o time do Santos, que vem tendo uma regularidade muito grande, mas sabemos que temos de saber lidar com essas situações para conseguir nossos objetivos", disse Bóvio.Quando Fabinho deixou o campo no domingo, na partida contra o Ituano, Oswaldo de Oliveira recuou Bóvio. "naquela partida eu já recuei um pouco e se o professor Oswaldo optar por mim, vou ajudar da melhor maneira possível". O atleta entende que o grande número de contusões se deve ao desgaste provocado pela seqüência de jogos. "Não estamos tendo tempo suficiente para a recuperação e isso tem prejudicado o rendimento da equipe. Mas, temos de superar essa dificuldade para não prejudique a caminhada da equipe nas competições".O zagueiro Antônio Carlos e o volante Zé Elias também foram liberados pelos médicos, mas só correram em volta do campo. Para o médico Carlos Braga, Antônio Carlos precisará fazer um trabalho específico em termos físicos. "Isso é primordial nesse caso, já que o atleta apresentou lesão dos tendões das duas coxas e precisa ter um cuidado muito grande", disse ele, comentando que, clinicamente, o jogador está curado.Cirurgia - Se Ricardinho, Antônio Carlos, Zé Elias e Fábio Baiano foram liberados pelos médicos para treinamentos físicos, o volante Fabinho terá mesmo de ser submetido a uma cirurgia no joelho. A operação ocorrerá na quarta-feira cedo em Campinas, pelo médico Wilson Mello, amigo pessoal do jogador e que já havia operado seu joelho em 98.Segundo o médico Carlos Braga, Fabinho ficará afastado da equipe por um período de 15 a 20 dias. "Não se trata de uma cirurgia em que há o comprometimento da ligação. É extra-articular e, com a retirada do fragmento, a recuperação é rápida". Não houve traumatismo, garantiu Braga.Outro jogador foi liberado do treino desta segunda: Fernando Diniz. Ele se apresentou pela manhã com uma gripe muito forte e foi dispensado, até mesmo como forma de precaução para evitar a contaminação de outros atletas. Fora isso, Braga informou que o jogador - que ainda não estreou no Santos - estava liberado pelo departamento médico por não estar contundido.

Agencia Estado,

21 de fevereiro de 2005 | 19h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.