TV Estadão | 26.07.2015
TV Estadão | 26.07.2015

Santos espera usar embalo para deixar zona desconfortável

Equipe alvinegra terá sequência de confrontos diretos no Brasileirão

O Estado de S. Paulo

26 de julho de 2015 | 13h36

Parece que a mudança no comando técnico do Santos surtiu efeito. Em quatro jogos sob o comando de Dorival Junior, são três vitórias e apenas uma derrota, no clássico para o Palmeiras. E, contando o jogo da Copa do Brasil, são apenas dois gols sofridos, uma evolução para a atual pior defesa do Campeonato Brasileiro. O elenco santista que usar essa empolgação para as próximas três rodadas, quando terá confrontos diretos com os times da parte de baixo da tabela. 

Elano também compra a ideia de que o Santos terá um campeonato a parte pela frente. "Estamos em uma sequência boa. Temos um jogo fora e dois em casa. São partidas muito importantes, confrontos diretos. Temos que sair pra jogar e para vencer. Na situação em que estamos, temos que marcar bem e explorar o contra-ataque."

A vitória santista na manhã deste domingo foi construída nos primeiros 20 minutos de jogo, com dois gols de Gabigol. O atacante, no entanto, saiu por contusão ainda no primeiro tempo. Durante o intervalo, o camisa 10 disse que tinha condições de continuar. "Por excesso de pancadas senti a coxa ali durante uma arrancada e o Dorival achou melhor me tirar. Eu tinha como continuar, sim, mas com essa maratona de quarta e domingo, ele preferiu me poupar." 

Um dos mais experientes do time, Elano foi um dos que acalmaram o Gabriel, que queria voltar para a partida. "Disse para ele agradecer o que aconteceu quarta e hoje. São quatro gols em dois jogos. Ele tem que ficar tranquilo, tem uma semana para se preparar para a partida no Rio de Janeiro. Fico feliz por essa fase porque ele é um moleque de ouro."

Se o Santos vive uma espécie de renascimento no ano, o Joinville segue um pesadelo. Último colocado com nove pontos, o time catarinense está a sete pontos do primeiro fora da zona de rebaixamento. O zagueiro Guti admite a má fase, mas é otimista em relação a uma melhora da equipe.

"A situação é mesmo difícil, ainda mais porque a gente vem se esforçando, trabalhando muito. Temos até jogado bem em algumas partidas, mas não conseguimos o resultado positivo, sempre batendo na trave. Temos que ter paciência, tem muito campeonato ainda pela frente. Pé no chão porque sabemos que toda fase ruim uma hora passa." 

No próximo final de semana, o Santos viaja ao Rio de Janeiro para encarar o Flamengo. Depois recebe Coritiba e Vasco, na Vila Belmiro. Já o Joinville volta para a casa, onde enfrenta o Avaí. E, antes de ser mandante contra o Cruzeiro, vai a São Januário jogar contra o Vasco.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolsantos fcbrasileiraojoinville

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.