Santos está desistindo de reforço

O Santos está desistindo de contratar um atacante, para desespero do técnico Gallo, que viu mais uma vez no domingo a falta que Robinho e Deivid estão fazendo. Os jovens Geílson e Diego não conseguiram levar a equipe à vitória: o primeiro desperdiçou boas chances de marcar, enquanto o segundo esteve apático até ser substituído.O presidente Marcelo Teixeira comentou que acha muito difícil a chegada do atacante de nível pedido pelo técnico Gallo. Ele havia chegado a US$ 12 milhões para a compra em definitivo dos direitos federativos de Vágner Love, naquela que seria a maior transação de repatriação de atletas brasileiros que estão no exterior. Mas o CSKA não liberou o atleta. Gallo, porém, ainda espera um reforço para a posição e ainda não desistiu de Vágner Love. Ele baseia sua esperança no fato de o clube russo ainda não ter respondido ao Santos se aceitava ou não a proposta.Outro jogador pretendido pelo Santos é Luizão, mas o assunto está sendo tratado em sigilo e os dirigentes evitam comentar se ainda há interesse ou não nessa aquisição."Reforço é sempre bom e a diretoria está trabalhando, mas os nomes que estão na pauta não são fáceis", comentou, lembrando que há pressa nessa contratação por causa do fechamento das inscrições no Brasileiro, no fim do mês. "Se o atleta pedido não chegar, vamos trabalhar para alcançar nosso objetivo com o grupo que está aí".Nesse caso, terá quatro jogadores à disposição para armar o ataque: Geílson, Diego, Frontini e Basílio. Dos quatro, Geílson é o mais próximo de permanecer como titular, mas Gallo chama a atenção para o trabalho que vem fazendo com esse jogador. "Ele tem muito a evoluir e temos feito um trabalho no dia-a-dia com ele até um pouquinho mais forte que com os outros atacantes diante das dificuldades que tem".Destacou que Geílson está evoluindo e "tem muita força física e um espírito de luta muito grande", disse Gallo apontando a deficiência de finalização como principal ponto a ser corrigido: "ele precisa melhorar numa situação que vai ser muito importante para a carreira dele e tem trabalhado nesse sentido".Basílio, que entrou no segundo tempo, não está rendendo como nos tempos de Leão e Luxemburgo. Entrou com vontade, correu muito, mas estava isolado. E ainda desperdiçou uma grande chance de marcar quando cabeceou a bola para fora, com o gol livre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.