Marcos Bezerra/Futura Press
Marcos Bezerra/Futura Press

Santos faz bom segundo tempo, bate São Bento e alivia pressão no Paulista

Alvinegro continua firme na briga por vaga na segunda fase

Itamar Cardin, especial para a AE, Estadão Conteúdo

22 de março de 2017 | 21h45

Mesmo depois de um início apático, quando pareceu sentir a pressão que o rodeava, o Santos fez um bom segundo tempo nesta quarta-feira e derrotou o São Bento por 2 a 0, no Estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba, pela décima rodada do Campeonato Paulista. Depois da boa atuação contra o Palmeiras, Lucas Lima voltou a se destacar e foi o nome do jogo, ao dar uma assistência e marcar um gol.

O resultado não só diminuiu a pressão, como deixou a equipe em situação menos turbulenta no Estadual: com o triunfo, o Santos chegou aos 16 pontos e entrou na zona de classificação do Grupo D às quartas de final. Já o São Bento segue com dez pontos, é o último da chave C e permanece na briga contra o rebaixamento.

Na próxima rodada, em jogo decisivo para garantir sua classificação, o Santos enfrenta o Santo André no sábado, fora de casa, enquanto o São Bento recebe a Ponte Preta no domingo.

Muito pressionado depois da derrota para o Palmeiras, de virada, em plena Vila Belmiro, e pelas pichações da torcida contra alguns jogadores do elenco, o Santos ainda entrou em campo nesta quarta-feira com um importante desfalque: Ricardo Oliveira, poupado pelo técnico Dorival Júnior. Kayke ganhou uma chance.

E, mais pela pressão do que pelo desfalque, o Santos iniciou o jogo em ritmo lento, temendo se expor, aparentemente mais preocupado em não sofrer gols do que em marcar. Ainda assim, diante de um rival frágil, que tinha dificuldades para trocar passes, o time de Dorival Júnior criou as principais chances da etapa inicial.

A principal delas - e a mais efetiva - veio logo aos nove minutos, quando Thiago Maia deu belo passe e Kayke saiu na cara do gol. O atacante finalizou com cuidado, deslocando o goleiro, cruzado, mas a bola saiu raspando a trave.

Embora dominasse as ações e corresse poucos riscos, o Santos tinha dificuldades para fazer suas triangulações. Os laterais pareciam presos e os ataques ficavam centralizados. Assim, somente aos 32, em lance fortuito, a equipe voltou a chegar com perigo: Lucas Lima cobrou escanteio, a defesa não afastou e a bola quase entrou.

Se os meias e os laterais pouco criavam, o volante Thiago Maia continuava se destacando e, já aos 42, acertou outro bom passe, agora para Vitor Bueno. Mas, dentro da área, o meia-atacante demorou, foi travado e desperdiçou a oportunidade.

O próprio jogador, contudo, teve nova chance logo aos cinco minutos do segundo tempo. Após receber passe de Lucas Lima, dentro da área, Vitor Bueno finalizou com classe, no canto, sem força, e abriu o placar. Era a redenção do meia-atacante, muito criticado após perder gol incrível, sem goleiro, contra o Palmeiras.

O jogo, então, ficou tranquilo. Precisando atacar para buscar o empate, sem qualquer organização, o São Bento se expunha, abria espaços e não criava. Assim, penas oito minutos depois do primeiro gol, Lucas Lima recebeu passe de Kayke, driblou o goleiro e ampliou.

O que era tranquilo ficou ainda mais fácil quando, aos 16, Bruno Henrique puxou contra-ataque e recebeu falta de Bebeto, que acabou expulso por ser o último homem. O bandeira assinalou pênalti, mas o árbitro corretamente marcou falta fora da área. Victor Ferraz, em cobrança no ângulo, quase fez o terceiro. De todo modo, o jogo estava praticamente liquidado.

Satisfeito com o placar, ciente da importância do resultado para amenizar a pressão da torcida e já pensando no duelo de sábado contra o Santo André, o Santos diminuiu o ritmo nos minutos finais, apenas tocou a bola e só aguardou o apito final.

FICHA TÉCNICA

SÃO BENTO 0 x 2 SANTOS

SÃO BENTO - Rodrigo Viana; Bebeto, Pitty, Gabriel Santos e Régis Souza; Fábio Bahia, Itaqui, Giovanni (Guilherme Queiroz) e Morais (Diego Oliveira); Renan Mota e Ricardo Bueno (Lucas Mendes). Técnico: Paulo Roberto Santos.

SANTOS - Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Renato (Rafael Longuine), Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno (Vladimir Hernández), Kayke e Bruno Henrique (Arthur Gomes). Técnico: Dorival Júnior.

GOLS - Vitor Bueno, aos cinco, e Lucas Lima, aos 13 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza.

CARTÕES AMARELOS - Giovanni e Régis Souza(São Bento); Lucas Lima (Santos).

CARTÃO VERMELHO - Bebeto (São Bento).

RENDA - R$ 272.535.

PÚBLICO - 6.690 pagantes.

LOCAL - Estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba (SP).

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCfutebolCampeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.