Santos faz contas para deixar zona de rebaixamento

'Se fizermos a lição de casa e beliscarmos uns pontinhos fora, estaremos bem situados', diz Márcio Fernandes

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

25 de agosto de 2008 | 22h14

O Santos já estipulou uma data para deixar definitivamente a zona de rebaixamento do Brasileirão: 14 de setembro. Nesse dia, o time recebe o Fluminense na Vila Belmiro e espera dar a arrancada final para sair das últimas colocações do campeonato. Atualmente, a situação santista é crítica, em penúltimo lugar, com apenas 22 pontos, mas o técnico Márcio Fernandes vê o momento com otimismo.  Veja também: Vote: Santos evitará a queda para a Série B?  Dê o seu palpite no Bolão Vip do Limão "Se fizermos a lição de casa (ganhar os jogos na Vila Belmiro) e beliscarmos uns pontinhos fora, estaremos bem situados dentro de pouco tempo", disse Márcio Fernandes, lembrando da seqüência de jogos santista: faz o clássico com o São Paulo no domingo, no Morumbi, e depois recebe o Vitória (3 de setembro) e o Fluminense (dia 14), ambos na Vila. "Vou assistir todos os vídeos do São Paulo que eu puder para descobrir detalhes sobre o nosso adversário de domingo, além de fazermos um trabalho sério durante a semana", avisou Márcio Fernandes, que já comandou o Santos num clássico desse, ainda no primeiro semestre, quando Leão deixou o cargo e ele assumiu como interino na época. "Apesar das enormes dificuldades, criamos mais oportunidades e merecíamos um resultado melhor do que o empate por 0 a 0." Efetivado no cargo de técnico do Santos há duas semanas, Márcio Fernandes começa a mudar o perfil da equipe, posicionando melhor os jogadores e determinando a função de cada um em campo. "Até hoje não dei nenhum coletivo. Prefiro outros tipos de treinos, orientando a colocação do jogador e a sua maneira de atuar", revelou o treinador. Ele também recuperou jogadores que estavam encostados no clube, como Roberto Brum, Lima, Cuevas e Carleto. Roberto Brum foi uma contratação pedida por Cuca, que o escalou, sem estar bem condicionado fisicamente, contra o Botafogo e o substituiu com 20 minutos de jogo. Depois, passou a ignorá-lo. O volante chegou a ser oferecido a alguns clubes e quase foi obrigado a reduzir o salário para continuar no Santos. "Apenas prestei a atenção no que Brum fazia nos treinos. Ele é um volante que ataca a bola e marca no campo adversário. E, com a bola, procura simplificar, passando de primeira", definiu Márcio Fernandes. Quando precisou de Kléber no meio-de-campo, Márcio Fernandes deu força para o garoto Carleto, que agora passa a ser o reserva imediato na lateral-esquerda.  Agora, o treinador quer recuperar o zagueiro Fabão, por sua importância como jogador e pelo que representa para o grupo. "Os jogadores sentiram demais a grave contusão de Maikon Leite e a alegria só foi resgata com o retorno de Adailton e a liberação de Rodrigo Souto. Fabão é outro caráter sensacional. Quando ele recuperar a condição deve entrar no time", concluiu Márcio Fernandes.

Tudo o que sabemos sobre:
Brasileirão Série ASantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.