Santos faz proposta para manter Deivid

A desolação de Deivid com a possibilidade de não permanecer na Vila contrasta com a confiança do gerente de futebol do Santos, Luiz Henrique de Menezes. Uma oferta para ter 50% do direito do contrato de trabalho do jogador foi encaminhada ao Bordeaux no valor de 3 milhões de euros (R$ 9,3 milhões). O clube brasileiro aguarda uma resposta. Mesmo assim, Deivid segue sem esperança. Nesta terça-feira, pela primeira vez desde que a equipe francesa pediu 6 milhões de euros (R$ 18,6 milhões) para liberá-lo, o atacante admitiu que terá mesmo de voltar para a França. ?Acho difícil o Santos me comprar já que o Bordeaux não aceita prorrogar o empréstimo. Então, não me resta outra alternativa a não ser retornar", disse o atleta no embarque da delegação santista para Santiago, onde na quinta-feira enfrenta a Universidad de Chile pela Libertadores. Deivid tem contrato com o clube francês até 2007. Seu vínculo com o Peixe termina no dia 30 de junho. O atleta teria, portanto, mais cinco jogos pelo Campeonato Brasileiro - contra Atlético-MG, Palmeiras, Fluminense, Fortaleza e São Caetano - e outros dois pelas oitavas-de-final da Libertadores com o rival chileno. Ocorre que a diretoria santista ainda não desistiu do jogador e tenta costurar este novo acordo com o Bordeaux. O clube se diz otimista com a possibilidade de uma resposta positiva. "A tendência é que ele permaneça na Vila, mas só terei mais detalhes para falar com a imprensa amanhã (quarta-feira)", disse o enigmático Luiz Henrique. O cartola não quis adiantar o desfecho. Mas pelo seu otimismo aparente, acredita-se que os dirigentes do Bordeaux amoleceram na pedida e na vontade de levar Deivid. O presidente Marcelo Teixeira teria se reunido com o representante do Bordeaux no Rio. O técnico Gallo mostrou-se satisfeito com a possibilidade de seguir com o atleta. O jogador, ainda no aeroporto de Guarulhos, disse que seu empresário não confirma mais a proposta do Atlético de Madrid, feita no fim do ano passado. Na ocasião, o atacante preferiu seguir no Santos para cumprir seu vínculo e não ganhar entre os torcedores a pecha de "mercenário". "Só que agora essa proposta que era certa com o Atlético de Madrid não existe mais. E se o Santos não conseguir negociar com o Bordeaux, terei de voltar para a França". Deivid conversou com sua mulher e ouviu dela o desejo de ficar. O atacante revelou ainda uma oferta caducada que recebera do Corinthians/MSI no começo do ano, mas que também deu em nada dada sua disposição de ficar na Vila. "Hoje, o Kia está atrás do Vágner Love e do Luís Fabiano", disse Deivid. Luiz Henrique deu um alento ao assunto até então inexistente na negociação. Deu a entender, mesmo que rapidamente, e por telefone, que o que parecia impossível já não é mais e que a renovação tomou caminhos mais suaves. "A tendência é que ele fique", repetiu. Nesta quarta-feira, o clube deve oficializar o acerto com o zagueiro Altair, da Portuguesa. O técnico Gallo esperava pelo término do contrato do atleta, que foi nesta terça. Assim que assinar com o Santos, Altair será inscrito na Libertadores. Mas a Lusa promete engrossar. Quer fazer valer um contrato assinado pelo ex-procurador do atleta. Gallo tem mais duas vagas para time no torneio, pois uma delas foi entregue a Fabiano. Wendel ficará com outra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.