Maurício de Souza/AE
Maurício de Souza/AE

Santos faz protesto formal contra Djalma Beltrami

Árbitro teve atuação ruim na derrota da equipe para o Atlético Mineiro por 3 a 2 no domingo na Vila Belmiro

Sanches Filho, Agencia Estado

22 de junho de 2009 | 18h32

O departamento jurídico do Santos enviou à presidência da Confederação Brasileira de Futebol, nesta segunda-feira, representação contra o juiz Djalma José Beltrami Teixeira, que apitou a derrota da equipe por 3 a 2 para o Atlético Mineiro, no domingo.

Veja também:

linkCBF altera horário de Palmeiras x Santos

linkContusão do goleiro Fábio Costa não é grave

linkSantos perde do Atlético-MG por 3 a 2 e cai no Brasileirão

linkMancini não sente ameaça de Muricy, mas admite falhas

linkMancini tem problemas para escalar o Santos

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela / tabela Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

No documento, o clube enumera os supostos erros cometidos pelo árbitro e lamenta que o clube tenha deixado de conquistar um ponto com a anulação de gol marcado por Molina, nos acréscimos do segundo tempo.

"O Santos não pede vantagem, mas também não quer ser prejudicado", explicou o gerente jurídico do clube, Mário Mello. "Também encaminhamos um vídeo para mostrar o que aconteceu nos acréscimos da partida", acrescentou.

Ele alega que o ponto que o Santos deixou de somar no domingo poderá até faltar para a conquista do título no final da competição. "Faz muita diferença num campeonato disputado pelo sistema de pontos corridos", argumentou.

Mello disse que não é a primeira vez que o Santos reage contra as más arbitragens. "Apenas mostramos o que aconteceu e deixamos as providências por conta de quem de direito. A última vez que representamos contra uma arbitragem foi no Campeonato Paulista deste ano, no jogo contra o Palmeiras (derrota por 4 a 1). O juiz foi o Luiz Flávio de Oliveira", lembrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.