Santos fecha meio e aposta em Gabriel contra o Grêmio

Claudinei Oliveira vai escalar mais um volante de marcação no lugar do meia Leandrinho e apostar no bom momento de Gabriel para surpreender o Grêmio, nesta quarta-feira, às 21h50, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, e colocar o Santos nas quartas de final da Copa do Brasil. O escolhido para fazer dupla com Alison à frente da zaga era Alan Santos, que machucou o pé direito durante ensaio de uma peça de teatro em uma igreja evangélica, e nem viajou.

ELDER OGLIARI E SANCHES FILHO, Agência Estado

28 de agosto de 2013 | 08h17

Marcos Assunção, pela experiência e qualidade nos lances de bola parada, e Renê Júnior disputam a posição. Uma possibilidade remota é a entrada de Jubal para ser o terceiro zagueiro, ao lado de Gustavo Henrique (Edu Dracena está suspenso) e Durval. Arouca (contundido) e Cicinho (já jogou na Copa do Brasil pela Ponte Preta neste ano) são os outros ausentes.

Como ganhou o jogo de ida, na Vila Belmiro, por 1 a 0, o Santos tem a vantagem de se classificar com um empate. Se o Grêmio vencer por 1 a 0, a decisão da vaga será em cobranças de pênaltis. Com a confiança nas alturas depois de o time sair na frente na briga pela classificação na Copa do Brasil e de voltar a vencer no Campeonato Brasileiro, Claudinei Oliveira diz que respeita o adversário, mas não o considera favorito.

"Favoritismo não tem. Quando o Santos joga na Vila Belmiro tem um pouco mais de chance de vencer e agora o Grêmio tem um pouco mais de possibilidade no jogo, mas não no confronto. O time mandante tem vantagem, mas vamos dificultar para eles. O Santos vai continuar atuando com intensidade máxima e não ficar apenas olhando o Grêmio jogar", prometeu.

O treinador lembra que depois da goleada de 8 a 0 que o time sofreu diante Barcelona todos os jogos foram decisivos para o Santos e, principalmente, para ele. "Se tivéssemos perdido do Corinthians eu não seria mais técnico do Santos e se o Grêmio ganhasse o jogo da quarta-feira passada eu não estaria aqui dando entrevista hoje (terça)".

O segredo do Santos que surgiu após a vergonhosa derrota na Espanha foi a sua reorganização defensiva. Tanto que nos últimos seis jogos o time sofreu apenas dois gols - um diante do Corinthians e outro contra o Vasco. Por isso, o técnico não acredita que o seu time será eliminado nos 90 minutos. "Um gol muda historia, mas não garante a classificação. Antes de nos enfrentar, o Grêmio vinha com média de três gols por jogo e tem time para fazer dois e até três na partida de amanhã (quarta), mas com o gol qualificado, uma bola te salva".

Como não descarta a possibilidade de a decisão ir para os pênaltis, Claudinei Oliveira nem permitiu a presença dos jornalistas durante o ensaio de cobranças no CT Rei Pelé. Além disso, à exceção de Gabriel, ele levou só atacantes experientes. William José e Éverton Costa tomaram os lugares de Neilton e Giva.

Mas com Gabriel é diferente. Depois de o garoto não ter tremido contra Grêmio e Vitória, o técnico acredita que ele voltará a jogar bem em Porto Alegre. "A única coisa que temos de fazer é procurar tirar um pouco da ansiedade dele e mostrar que a responsabilidade é sempre minha. No jogo passado, em todos os lances Gabriel achava que tinha de driblar para depois tocar a bola. Chamei ele num canto e falei para passar de primeira e que o drible é recurso e não obrigação. Ele entendeu e passou a jogar bem", concluiu o treinador.

GRÊMIO - Apesar de poder voltar a contar com o meia Zé Roberto e o atacante Vargas, o técnico Renato Gaúcho não vai usar os jogadores contra o Santos. Ambos eram titulares até o início do mês, quando sofreram contusões, e foram substituídos. Desde então, o time mudou o esquema, do 4-4-2 para o 3-5-2, e colecionou quatro vitórias consecutivas no Brasileirão.

A única derrota do período foi para o próprio Santos, no jogo de ida. Agora, o time tricolor precisa ganhar por dois gols de diferença para avançar à próxima fase da competição. A formação atual pode parecer defensiva porque usa três volantes - Riveros, Souza e Ramiro -, mas como marcou 10 gols em quatro jogos conta com todo o crédito do treinador e da torcida. Zé Roberto e Vargas terão de esperar.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do BrasilGrêmioSantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.