Santos festeja como se fosse decisão

A vitória em São Caetano foi comemorada pelo Santos como se fosse a própria classificação. A festa começou ainda no gramado, junto com a torcida, que só deixou as arquibancadas do estádio Anacleto Campanella uma hora depois da partida. Os jogadores também demoraram a sair de campo e não escondiam que jogaram com o espírito de uma decisão. "Nós dependíamos desses três pontos, era o nosso jogo chave", desabafou o volante Rincón, autor do gol que confirmou a vitória santista. "Hoje o Santos mostrou que tem cacife para se classificar e até para ser campeão".Já o meia Renato, que fez o primeiro gol santista, destacou que o grande mérito do time foi o poder de reação. "Vencemos à base da determinação e da superação. O time conseguiu jogar junto com a torcida e ganhou de um adversário reconhecidamente forte".De sua parte, Geninho preferiu dar uma ´alfinetada´ na torcida, que teria atrapalhado o desempenho da equipe também em São Caetano, a exemplo do que normalmente acontece na Vila Belmiro. Só que jogando fora de casa, o Santos teve tranqüilidade para não entrar em desespero, segundo o treinador santista. "A pressão da torcida foi grande, mas felizmente o time não sentia tanto como na Vila Belmiro".Segundo Geninho, o Santos poderia ter vencido até com mais facilidade se o time não tivesse perdido Léo no começo do segundo tempo. "O Léo fez muita falta porque o Santos perdeu uma importante opção ofensiva pela esquerda. Mas desta vez o conjunto soube superar esse desfalque e nós demos um passo importante rumo à classificação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.