Paulo Pinto/AE
Paulo Pinto/AE

Santos fica no 1 a 1 com o Santo André

Empate no Pacaembu termina em vaias, mas time alvinegro se mantém em 2.º no Paulistão

MILTON PAZZI JR., estadão.com.br

05 de fevereiro de 2011 | 21h22

SÃO PAULO - O Santos falhou mais uma vez no Campeonato Paulista. Ficou no 1 a 1 com o Santo André, no Estádio do Pacaembu - o mando era do time do ABC - e assim fica em segundo lugar na classificação, após sete rodadas. Mas pode cair mais, dependendo dos jogos deste domingo, e ver o Palmeiras abrir vantagem na liderança.

Foi o segundo empate seguido do time alvinegro, que agora tem 15 pontos. Só não perdeu o segundo lugar porque o Americana sofreu o empate por 1 a 1 com o Oeste no último lance do jogo, nos acréscimos, levando a equipe do interior para 13 pontos.

A chance de voltar a vencer será na sexta-feira, às 21 horas, contra o Noroeste, na reabertura da Vila Belmiro.

Pressão. No jogo, com excesso de passes errados, faltas e o time santista com uma equipe mista entre titulares e reservas, foi o Santo André quem surpreendeu logo de cara. Não apenas com o gol de Marcelo Godri, aos 6 minutos, pegando rebote de uma cobrança de falta. No papel, Pintado entrou com três zagueiros de origem, mas, no campo, era um 4-4-2, bem fechadinho atrás, sem dar espaço.

O Santos sofria para superar essa forte marcação. Era um jogador santista pegar na bola que tinha um do Santo André grudado feito carrapato. A equipe se ressentia de um pouco mais de qualidade. Elano fazia uma falta danada.

O sistema defensivo do time do ABC parecia intransponível. Só uma falha poderia gerar o empate. E o Santo André passou a abusar dos erros. Primeiro Sandoval entregou bola no pé de Maikon Leite, mas ele não aproveitou. Depois Alex Silva rolou uma bola para ninguém dentro da área, mas, mais uma vez, deu tempo de Iran salvar.

O Santos foi empurrando o Santo André cada vez mais para o seu campo. O jogo virou ataque contra defesa. O time alvinegro martelando, criando e perdendo uma chance atrás da outra. E o time do ABC se segurava do jeito que conseguia. A pressão foi insuportável. Possebon, aos 46 minutos, aproveitou rebote de um escanteio, matou no peito e mandou uma bomba de pé esquerdo, sem chance para o goleiro Neneca.

O Santo André decidiu então que o empata estava de bom tamanho e voltou para o segundo tempo se defendo ainda mais. Neneca demorava uma eternidade para bater cada tiro de meta, tudo para ganhar minutos preciosos. E teve chance de conseguir a vitória quando Juan Felipe, aos 39 minutos do segundo tempo, chegou de cara com o goleiro santistas, sozinho, mas finalizou muito mal, mandando para fora.

Um lance digno para fechar o jogo e o placar em 1 a 1. E fazer algumas vaias de torcedores do Santos serem ouvidas no Pacaembu. (com Marcius Azevedo/JT)

SANTO ANDRÉ - 1 - Neneca; Iran, Anderson, Sandoval e Alex Silva (Valmir); Marcelo Godri, Magno, Romário e Aloísio (Juan Felipe); Nunes (Mario Jara) e Rychely. Técnico: Pintado.

SANTOS - 1 - Vladimir; Pará, Edu Dracena, Bruno Rodrigo e Léo; Adriano, Rodrigo Possebon, Felipe Anderson e Róbson (Crystian); Maikon Leite (Keirrison) e Diogo (Moisés). Técnico: Adilson Batista.

Gols - Marcelo Godri, aos 6, e Rodrigo Possebon, aos 45 minutos do primeiro tempo; Árbitro - Aurélio Santanna Martins; Cartões amarelos - Léo e Mario Jara; Renda - R$ 226.710,00; Público - 8.310 pagantes; Local - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Veja também:

PAULISTÃO - tabelaClassificação | listaResultados

especialCALENDÁRIO - O caminho de cada time

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.