Ivan Storti/Divulgação
Ivan Storti/Divulgação

Santos ganha com pênalti duvidoso e não elimina jogo de volta

Alvinegro terá que jogar nova partida na Vila Belmiro pela Copa

GONÇALO JUNIOR, O Estado de S. Paulo

17 Março 2015 | 21h37

O Santos não teve uma atuação brilhante, mas criou chances para eliminar o jogo da volta na Copa do Brasil. Não conseguiu por causa da ótima atuação do goleiro Vitor, do Londrina, que fez três grandes defesas. Com o placar de 1 a 0, gol de Robinho, em um pênalti duvidoso, na noite desta terça-feira, no Estádio do Café, o time santista vai fazer o jogo da volta na Vila Belmiro, no dia 16 de abril, com a vantagem do empate.

"Não foi ruim. Nós ganhamos o jogo. O goleiro deles teve uma grande atuação. Vamos fazer uma grande partida na volta, na nossa casa, para garantir a classificação", conformou-se o atacante Robinho.

Contrariando as expectativas do técnico Marcelo Fernandes, que queria impor seu ritmo de jogo, o Santos não conseguiu ser protagonista. Ficou comprimido na defesa por causa da boa movimentação dos meias do Londrina, principalmente Celsinho. Além disso, o time da casa estava acostumado ao gramado irregular e cheio de buracos que transformava cada domínio de bola em uma prova.

O combustível do campeão paranaense também vinha das arquibancadas. Era um time vibrante e que compensou dessa forma a ausência de sete titulares, suspensos por causa de uma briga na semifinal da Série D do ano passado.

O domínio, no entanto, era pouco efetivo. Não se traduzia em chances. A melhor chance de gol só ocorreu aos 30 do primeiro tempo, com cobrança de falta de Celsinho que Vanderlei se esticou para salvar. O Santos compensava o menor tempo de posse de bola com a objetividade. Beneficiado pelos problemas do rival na saída de bola, era mais agudo e contundente. Foi por isso que conseguiu as melhores chances do primeiro tempo: um chute de Ricardo Oliveira, aos 19, e outro de Victor Ferraz, aos 36. Nesse último, o goleiro Vitor fez uma defesa de arregalar os olhos.

Essa diferença de estilos - cadência x objetividade - estava expressa nos números. O placar das finalizações do primeiro tempo terminou 8 a 2 para o time paulista. Nesse cenário, o gol santista era iminente.

Bastaram cinco minutos para ele sair na etapa final. Mas saiu de pênalti, resultado de um rigor danado do árbitro que viu toque de Germano dentro da área. A batida de Robinho não deu margem para outro milagre de Vitor.

A derrota parcial não trouxe um choque de realidade para os paranaenses, que continuaram tocando de um lado para o outro sem conseguir finalizar. O quadro ficou ainda mais inóspito com a contusão de Celsinho, o único lúcido. O Londrina achou que não tão ruim assim perder por um gol e tentar a sorte grande no jogo de volta, na Vila Belmiro.

A partir daí, o Santos tomou conta do jogo. Só não conseguiu ampliar a vantagem e eliminar o jogo de volta por causa da ótima atuação do goleiro Vitor. Ele fez mais dois milagres: barrou um chutaço de Robinho e a cabeçada de Ricardo Oliveira, tudo no mesmo lance, aos 22.

Faltou ao Santos também impor sua qualidade técnica. Robinho e Cicinho abusaram dos chutes tortos e perderam chances claras. Em uma noite cheia de altos e baixos, ficou apenas o consolo da vitória chocha.

FICHA TÉCNICA

LONDRINA 0 X 1 SANTOS

LONDRINA - Vitor; Lucas Ramon, Dirceu, Silvio e Lino; Diogo Roque, Germano, Leo Maringá (Roni Dias) e Celsinho (Cofi); Paulinho (Everton) e Arthur. Técnico: Claudio Tencati.

SANTOS - Vanderlei; Cicinho, David Braz, Werley e Victor Ferraz; Valencia, Renato e Lucas Lima; Geuvânio, Robinho (Gabriel) e Ricardo Oliveira (Thiago Ribeiro). Técnico: Marcelo Fernandes.

GOL - Robinho, aos 8 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Paulo Henrique de Melo Salmazio.

CARTÕES AMARELOS - Paulinho, Lucas Lima, Dirceu e Cicinho.

PÚBLICO - 10.917 pagantes.

RENDA - R$ 396.370,00.

LOCAL - Estádio do Café, em Londrina.

Mais conteúdo sobre:
futebol Copa do Brasil Santos FC Londrina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.