Santos ganha e continua na briga por uma vaga na semifinal

Marcinho Guerreiro marca nos minutos finais e garante vitória suada diante do líder Guaratinguetá

André Rigue, estadao.com.br

23 de março de 2008 | 20h04

Com um gol salvador do volante Marcinho Guerreiro nos minutos finais, o Santos derrotou na noite deste domingo o líder Guaratinguetá, no Vale do Paraíba, por 1 a 0, resultado que mantém a equipe na briga por uma vaga às semifinais do Campeonato Paulista.  Veja também: Classificação Resultados e calendário Ouça o gol do Santos 'Salvador', Marcinho Guerreiro festeja gol da vitória O Santos foi para 26 pontos e se aproximou do Corinthians (quarto colocado, com 30). Na próxima quarta-feira, as duas equipes se enfrentam, na Vila Belmiro, e uma vitória pode deixar o time de Emerson Leão bem próximo do G-4. A meta era vencer os últimos sete jogos. E o clube já venceu quatro consecutivas. O Guará, apesar da derrota, continua em primeiro na tabela. O clube estacionou nos 31 pontos, mas leva vantagem sobre o Palmeiras no número de vitórias. O time do Vale do Paraíba, que tinha praticamente certa a classificação, agora precisará vencer o Mirassol para não levar sustos. Mesmo sem o atacante Kléber Pereira, suspenso pelo terceiro amarelo, o Santos, com Renatinho, demonstrou um bom volume ofensivo nos primeiros minutos. Porém, o clube pecou nas finalizações com Wesley e Sebastián Pinto - os dois precisam fazer um trabalho extra de arremates nos treinos. É verdade que a chuva no Vale do Paraíba prejudicou, e muito, o desempenho dos jogadores no primeiro tempo. O campo, que não é dos melhores, ficou pesado e tornou o jogo concentrado no meio campo, o que gerou um bom número de faltas. O principal "caçador de canelas" foi Jackson, do Guará. O melhor lance da primeira etapa só saiu aos 39 minutos. O atacante Nenê aproveitou falha de Adoniram e subiu livre na pequena área para cabecear, mas mandou a bola para fora do gol de Fábio Costa. O técnico Emerson Leão arregalou os olhos com a falha do zagueiro santista. E quem também abriu os olhos foi o árbitro Milton Etsuo Ballerini, que expulsou o volante Jackson aos 45 minutos do primeiro tempo. O jogador, que já tinha amarelo, acertou a canela de Rodrigo Souto. Mesmo com o chororô dos jogadores do Guaratinguetá, Jackson recebeu o vermelho. SHOW DE HORRORES Guaratinguetá0Fábio; Alex Silva    , Toninho, Carlinhos e Jefferson (Odair); Alê, Jackson    , Magal e Michael    ; Alessandro Cambalhota (Caiuby) e Nenê (Thiago Gomes)Técnico: Guilherme MacugliaSantos1Fábio Costa; Adoniran (Tripodi), Domingos, Betão e Kleber; Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto     e Molina; Wesley, Renatinho (Vitor Júnior) e Sebastián Pinto (Tiago Luis    )Técnico: Emerson LeãoGols: Marcinho Guerreiro, aos 40 minutos do segundo tempo Árbitro: Milton Etsuo BalleriniEstádio: Dario Rodrigues Leite, em Guaratinguetá (SP)Com um jogador a mais, Leão, enfim, decidiu colocar o time no ataque. A atitude do comandante santista foi diferente da última quarta-feira, quando ele recuou desnecessariamente na Bolívia e o Santos acabou derrotado pelo fraco San José, de virada, por 2 a 1, pela Libertadores. Mesmo assim, o Santos não conseguiu balançar a rede no início da segunda etapa. A culpa, em grande parte, foi de Wesley. Logo aos dois minutos, o atacante recebeu passe de Rodrigo Souto dentro da pequena área. Afobado com a oportunidade, ele tocou torto e viu a bola passar no canto esquerdo do goleiro Fábio. O festival de gols perdidos não foi apenas do Santos. Aos 18 minutos, o atacante Cauby puxou bom contra-ataque para o Guará. O jogador quis driblar, mas não conseguiu passar pela defesa. Então, ele segurou, segurou... e quando decidiu chutar, mandou na bandeirinha de escanteio. Outra boa oportunidade desperdiçada aconteceu aos 27 minutos. O colombiano Molina fez um cruzamento venenoso na área, a bola espirrou e sobrou para Marcinho Guerreiro, que encheu o pé -a zaga do Guará conseguiu afastar. Marcinho, porém, não desistiu e foi feliz aos 40 minutos. Aproveitando a bola molhada, ele acertou uma bomba no canto esquerdo do goleiro Fábio, que até pulou, mas não conseguiu chegar. O jogador, com o uniforme todo sujo de lama, festejou como uma criança. O sonho santista de se classificar ficou mais próximo.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCGuaratinguetáPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.