Santos ganha no final e mantém a liderança do Paulistão

A muito custo, o Santos venceu o Marília por 1 a 0, fora de casa, e manteve a liderança do Campeonato Paulista. O único gol da partida começou numa cobrança de falta cobrada por Pedrinho, o melhor santista em campo, que lançou na área para Ávalos desviar de cabeça e marcar aos 42 minutos do segundo tempo. ?O pessoal que entrou hoje (domingo) mostrou que tem condição de manter o mesmo nível do time principal?, disse o zagueiro, um dos oito suplentes que atuaram contra o time do interior.Vanderlei Luxemburgo resolveu apostar em um time jovem, com boa parte dos atletas formada nas categorias de base da Vila Belmiro. ?Fico contente de ver que essa molecada tenha sabido aproveitar a chance e mostrado consciência de que um dia pode ser titular do Santos?, disse o técnico após o jogo.Do outro lado, no segundo jogo no comando do Marília, o técnico Lori Sandri optou pelo 3-5-2, com três volantes para bloquear o meio-campo. Cauteloso, o time da casa esperava encarar os titulares do Santos. ?Trabalhamos pensando em outro Santos, mas não devemos nos preocupar por eles estarem com o time bastante modificado, mas, sim, tentar ganhar dentro de campo?, disse o ala Bruno Ribeiro antes de a partida começar.A disputa pelo meio-de-campo deu o tom do primeiro tempo. Os times trocavam muita bola, mas sem ameaçar com perigo a meta adversária. Na meia hora inicial, as melhores oportunidades vieram com os chutes de fora da área. Pelo Santos, em cobranças de falta por Rodrigo Tabata e arremates sem a direção do gol por Pedrinho. Pelo Marília, Wellington Amorim deu algum trabalho para Fábio Costa.Prevaleciam os sistemas defensivos. Ao Santos faltava o passe final, numa evidente mostra de desentrosamento entre os jogadores. O Marília parecia mais decidido a atacar. Chegou a ter uma boa seqüência de escanteios, mas a defesa santista conseguiu abafar todos os cruzamentos. O zagueiro Marcelo, formado nas categorias de base da Vila Belmiro, demonstrava segurança no miolo da área.Para o segundo tempo, Lori Sandri resolveu arriscar: colocou o experiente Basílio no lugar do apagado Fabiano Gadelha e promoveu a entrada de Naldinho, meia mais ofensivo, na vaga de Juninho. As alterações no time da casa deixaram o jogo mais aberto, mas o Santos continuava melhor.Aos 4 minutos, o zagueiro Marcelo foi ao ataque e soltou uma bomba da intermediária, obrigando Júlio César a ceder escanteio. Aos 13, Tabata cobrou falta com perigo, mas uma vez mais o goleiro do Marília evitou o gol santista. A pressão seguia e, aos 22, após bom lance de Fabiano, Pedrinho mandou um chute forte e cruzado, que carimbou a trave esquerda.Na seqüência, os técnicos voltaram a entrar em ação: Lori Sandri pôs Rodolfo Augusto no lugar de Dickson e Luxemburgo trocou Jonas por Renatinho e Tabata por Fabinho. E, aos 37, Fabiano deu lugar a Júnior. No entanto, o jogo seguiu morno. Emoção, só a três minutos do final. Em cobrança de falta, Pedrinho levantou na área, o zagueiro Ávalos se antecipou ao goleiro e desviou para o gol.Ficha técnicaMarília 0 x 1 SantosMarília - Júlio César; Leandro Camilo, René e Dedimar; Bruno Ribeiro, Fernando, Max Carrasco, Juninho (Naldinho) e Dickson (Rodolfo Augusto); Wellington Amorim e Fabiano Gadelha (Basílio). Técnico:Lori Sandri.Santos - Fábio Costa; Dênis, Marcelo, Ávalos e Carlinhos; Adriano, Rodrigo Souto, Pedrinho e Rodrigo Tabata; Fabiano e Jonas (Renatinho). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.Gol - Ávalos, aos 42 minutos do segundo tempo. Cartões amarelos - Marcelo e Adriano (Santos). Árbitro - Eduardo César Coronado Coelho. Renda - Não disponível. Público - 10.404 pagantes. Local - Estádio Bento de Abreu Sampaio Vidal, em Marília (SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.