Santos garante: vai jogar para ganhar

O Santos só depende de um empate para se classificar para a próxima fase da Copa Libertadores, mas Gallo nem pensa num resultado assim. Ele quer seu time jogando para vencer o Bolívar, nesta quarta-feira na Vila Belmiro, pois acha que "é muito perigoso jogar pelo empate." Os jogadores já assimilaram bem a ordem: "dependemos de um ponto, mas nossa equipe pensa na vitória para garantir a classificação", disse o volante Fabinho. Mesmo com a má situação do adversário, ele entende que "cabe ao Santos fazer o jogo ficar fácil durante a partida, mas vai ser um jogo bastante difícil". A boa campanha do time, invicto há dez jogos, se deve principalmente ao trabalho que vem sendo realizado, na opinião de Fabinho e não é surpresa para ele. "Mas temos de manter os pés no chão", comentou.Para o jogo de quarta-feira, Gallo não vai poder contar com alguns reforços que não puderam ser inscritos para disputar a Copa Libertadores, caso de Elton e de Luciano Henrique, dois jogadores que estão na equipe titular. Por conta disso, pode escalar o time com três volantes - Fabinho, Zé Elias e Bóvio, este último mais avançado - ou optar por três atacantes - Robinho, Basílio e Deivid. O treinador, porém, só decidirá quem irá escalar no treino desta terça-feira, mas a dúvida não é motivo de preocupação para Fabinho: "não será novidade para nós se o Gallo formar a equipe com três zagueiros, três volantes ou três atacantes porque já jogamos assim várias vezes".Bóvio, que ficou fora do jogo de sábado contra o Atlético Paranaense pelo Brasileiro, volta a equipe e pode jogar mais avançado, ao lado de Ricardinho, sem descuidar da marcação no meio-de-campo. Se Gallo optar por escalar três atacantes, fará sua função de segundo volante, ficando mais preso, mas tem escalação garantida.Para Bóvio, isso é um alívio. Ele chegou desacreditado no Santos, mas aos poucos foi impondo seu futebol até garantir a condição de titular. "Desde que cheguei, venho procurando trabalhar forte e aproveitar as oportunidades. Faço uma função ou outra e sempre quando o professor chegava para mim e perguntava se dava para preencher aquele lugar, ia com total entrega."Com essa conduta, ele considera que conseguiu o respeito de todos: "Quando cheguei, vindo de fora, o pessoal estava meio desconfiado, mas eu tinha consciência de que tinha condições e trabalhei para isso. Agora, estou satisfeito por que colho os frutos do meu trabalho". Bóvio chegou à Vila Belmiro no ano passado, vindo do futebol russo.Comenta-se que há interesse de clubes estrangeiros em sua contratação, mas o jogador entende que precisa cumprir seu contrato até o final do ano com o Santos. "Há algumas sondagens, mas deixei isso com meu procurador, pois estou voltado apenas ao Santos e ajudando o time, as coisas acontecerão naturalmente."Zaga - O zagueiro Leonardo não treinou nesta segunda-feira e é dúvida para o jogo de quarta-feira contra o Bolívar. Caso não jogue, o novato Halisson está pronto para aproveitar mais uma chance, principalmente depois de ter marcado o gol da vitória na partida de sábado contra o Atlético-PR. "Se pintar uma nova oportunidade, vou dar o máximo para me firmar cada vez mais."Bastante assediado depois desse lance, acha que isso é normal no futebol. "Depois de um jogo como aquele, é normal que tenha de aparecer e dar entrevistas", comentou. O que ele não gostou foi de ter conseguido a vaga de Leonardo, um companheiro que está contundido. "Preferia que não fosse com a contusão dele, mas com o meu trabalho do dia-a-dia para o treinador ver que também tenho condições."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.