Santos goleia antes de encarar a LDU

O Santos comemorou o 92º aniversário de fundação com uma goleada vitória por 5 a 0, nesta quarta-feira à noite, na Vila Belmiro, sobre o Jorge Wilstermann, da Bolívia, pela última rodada da primeira fase do Grupo 7 da Taça Libertadores da América. Os nomes do jogo foram Diego, que fez dois gols, e Lopes, que entrou bem no time no segundo tempo. Com o resultado, a equipe do técnico Emerson Leão, que já havia assegurado o primeiro lugar no grupo (ficou com 16 pontos), recuperou-se da desclassificação do Campeonato Paulista, com a goleada por 4 a 0 sofrida diante do São Caetano. Nas oitavas-de-final da Libertadores, os santistas vão enfrentar a Liga Deportiva Universitária, do Equador. Sem Doni e Robgol, mandados embora pela diretoria, Alex, Pereira e Basílio, machucados, Leão foi obrigado a improvisar Elano no ataque, ao lado de Robinho, e a escalar Preto Casagrande, que estava esquecido na reserva, para compor o meio-de-campo com Claiton, Renato e Diego. Com as alterações, Diego foi passado para o lado direito e parece ter finalmente reencontrou o seu futebol, vindo com a bola dominada do seu campo e procurando entrar na área. Aos 20 minutos do primeiro tempo, o camisa 10 santista foi o escolhido para cobrar o pênalti cometido por Tierradentro, quebrando o jejum que já durava quatro meses - seu último gol fora marcado de cabeça, no empate por 2 a 2 contra o Grêmio, no dia 7 de dezembro de 2003, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro. Com Diego, Robinho, Léo e Renato tendo liberdade para se movimentarem à vontade, recebendo marcação só quando se aproximavam da grande área, o Santos se impunha com facilidade e só não abriu larga vantagem no primeiro tempo porque Elano não se adaptou à função de centroavante e o time sentia a falta de um atacante mais enfiado para concluir para o gol. Mesmo assim, foi dele o segundo gol santista, após uma lambança entre três zagueiros do Jorge Wilstermann, aos 40 minutos. Robinho tomou a bola, que era dos bolivianos, e fez o passe para Elano, aberto pela direita. Ele bateu de pé direito, rasteiro, fora do alcance do goleiro Galarza, fazendo 2 a 0. No segundo tempo, os bolivianos ameaçaram reagir, mas aos 10 minutos, Preto Casagrande liquidou a fatura, fazendo 3 a 0, numa jogada bem trabalhada, entre Diego, Robinho e Elano. Diego, recebendo um passe longo de Lopes, fez o quarto, aos 27 minutos. O placar foi fechado por Robinho, cobrando pênalti de Centeno em Diego, 42.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.