Santos goleia Rio Branco por 5 a 1

Sem grandes sustos, o Santos atropelou o Rio Branco nesta quarta-feira à noite, em Americana. Goleou por 5 a 1 e chegou a 21 pontos, um a menos que os líderes Mogi Mirim e São Paulo - que joga nesta quinta-feira contra a Portuguesa Santista, no Morumbi. O destaque da vitória foi Robinho, que marcou três gols e foi a nove no Paulistão, empatando na artilharia com Finazzi, do América. Deivid e Basílio fizeram os outros dois gols do time da Vila Belmiro. "Minha intenção é ajudar o Santos a ser campeão, mas se der para ser artilheiro também, vou ficar muito contente", disse Robinho. O próximo jogo do Santos é contra o São Caetano, domingo, na Vila. O estádio estava interditado desde os incidentes no clássico contra o Corinthians, há 10 dias, mas foi liberado nesta quarta-feira pela Federação Paulista após a vistoria de um perito.Nesta quarta-feira, o Santos abriu o placar aos 24 minutos. Paulo César fez longo lançamento para Robinho que, contando com a falha do volante Dino, matou no peito e bateu sem chances para Magrão. Dois minutos depois, Basílio chutou cruzado e Deivid, impedido, desviou para o gol. O árbitro Paulo César de Oliveira assinalou impedimento.O Santos recuou, e passou a sair só nos contra-ataques. Mas mesmo com mais espaço para jogar, o Rio Branco foi incapaz de criar uma boa chance para empatar ainda no primeiro tempo. Na etapa final, porém, o time de Americana conseguiu o empate. Aos 2, Ávalos derrubou Tiaguinho na área. Pênalti, que Capitão cobrou no canto esquerdo; Mauro foi para o direito.Mas o empate do Rio Branco foi só um susto. Com o gol sofrido, o Santos acordou. E voltou a tomar a frente do placar aos 11: Léo cruzou e Basílio, de primeira, soltou uma bomba de esquerda. O time embalou e aos 13 ampliou. Numa jogada bem tramada, Deivid tocou para Tcheco, que ajeitou para Robinho vir de trás e chegar batendo forte: 3 a 1. Três minutos depois, Basílio foi segurado pela camisa por Marcos Paulo, dentro da área, mas o árbitro preferiu dar vantagem e não marcar o pênalti.O quarto gol era questão de tempo. Acabou saindo aos 22, em mais uma bela jogada do ataque santista. Paulo César passou para Basílio, que deu de calcanhar para Deivid bater de esquerda, no canto.Com a goleada construída, o Santos passou a dar show. Os jogadores tocavam a bola de pé em pé, com direito a lances de calcanhar e chaleira. A estrela, claro, era Robinho, que infernizou a zaga do Rio Branco com suas pedaladas. E ainda marcou o quinto gol, o terceiro dele no jogo, aos 45, aproveitando falha da zaga, após cruzamento de Ricardinho.

Agencia Estado,

23 de fevereiro de 2005 | 23h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.