Santos inicia contra o Joinville um 'campeonato à parte' no Brasileirão

Mesmo que o Santos vença o lanterna Joinville neste domingo, às 11 horas, na Vila Belmiro, em Santos, pela 15.ª rodada do Campeonato Brasileiro, e saia da zona de rebaixamento, Dorival Júnior não ficará tranquilo. Para o técnico, a partida não pode ser vista isoladamente. Ele encara o jogo apenas como o primeiro de uma sequência de quatro contra equipes que estão ameaçadas pelo rebaixamento. Os próximos adversários serão Flamengo, Coritiba e Vasco.

GONÇALO JUNIOR, Estadão Conteúdo

26 de julho de 2015 | 07h05

"Independentemente do resultado ainda estaremos muito próximos da zona de rebaixamento. Será uma sequência complicada. Temos de fazer dessas quatro próximas rodadas um campeonato à parte", disse o treinador. Segundo Dorival Júnior, o caminho para a recuperação foi traçado na vitória sobre o Sport, pela Copa do Brasil. "Não vejo muita variação (entre um torneio e outro). A equipe está se recuperando. As últimas atuações foram do mesmo nível e alcançamos bons resultados".

Na Vila Belmiro, o Santos faz uma campanha razoável. Além da promoção de ingressos para tentar lotar o estádio - a entrada mais barata custou R$ 20 e a diretoria batizou a partida de "Jogo da Família" -, a equipe tem bom retrospecto e costuma jogar bem em casa. Foram três vitórias, dois empates e uma derrota. A principal razão para ocupar a 17.ª posição na tabela de classificação está no desempenho como visitante. Em oito jogos, foram sete derrotas e um empate.

A grande aposta do time é a recuperação do atacante Gabriel. Depois de ter marcado três gols nos últimos três jogos, ele ganhou elogios por sua atuação coletiva, ajudando na marcação. "Ele vem tendo uma atuação mais coletiva. Espero que isso não mude", disse Dorival Júnior.

Gabriel, no entanto, terá de se adaptar a um novo companheiro de ataque. Com a suspensão de Ricardo Oliveira, Nilson terá a sua primeira chance como titular. Destaque do São Bento no Campeonato Paulista e indicado pelo auxiliar técnico Serginho Chulapa, o atacante entrou em quatro partidas, mas sempre no segundo tempo.

Também preocupa a situação da defesa, a pior do torneio com 22 gols sofridos. O zagueiro Werley recebeu um voto de confiança do treinador apesar das falhas nos últimos jogos.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoSantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.