Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Santos inicia nova gestão com pendências resolvidas e foco em Cuca e Verissimo

Andrés Rueda assume o cargo e tenta resolver imbróglios sobre o zagueiro e o treinador

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

01 de janeiro de 2021 | 19h22

O primeiro dia de 2021 também marcou o início de uma nova gestão no Santos. Eleito em 12 de dezembro numa votação que envolveu outros cinco candidatos, Andrés Rueda será o presidente do clube pelos próximos três anos e o assume com as principais surgidas nas últimas semanas de 2020 resolvidas.

A principal delas envolvia o zagueiro Luan Peres. O defensor, titular absoluto com o técnico Cuca, só tinha contrato com o clube até 31 de dezembro, cedido por empréstimo pelo Brugge, da Bélgica. Mas a diretoria, em negociação que já envolveu os novos membros do Comitê de Gestão, conseguiu prorrogar o acordo para a reta final da Copa Libertadores.

Luan Peres, assim, poderá ser aproveitado nos confrontos pelas semifinais, contra o Boca Juniors, nos dias 6 e 13 de janeiro. E caso o time avance à final, marcado para o dia 30, terá de ser obrigatoriamente adquirido junto ao time da Bélgica. "O sonho continua. Então vamos em busca e feliz ano novo para todos, que a gente tenha um 2021 melhor ainda", disse o zagueiro, através das redes sociais do Santos.

Nos últimos dias de 2019, o Santos também assegurou a permanência de uma promessa: Bruno Marques, de 21 anos. O clube exercerá a opção de compra do centroavante junto ao Lagarto, time sergipano que o emprestou até o fim da temporada. Depois disso, assinará um contrato válido por quatro anos.

O clube ainda acertou a renovação do contrato do goleiro Vladimir, que chegava ao fim em 31 de dezembro, mas agora valerá até o término de 2021. O jogador, porém, está afastado dos gramados desde setembro, tendo passado por cirurgia no pé.

Com essas pendências resolvidas, Rueda terá outras situações para solucionar no começo da sua gestão. A primeira delas "vence" em 8 de janeiro, o quinto dia útil do mês, quando o presidente terá de pagar a sua primeira folha salarial. As outras envolvem o zagueiro Lucas Veríssimo e Cuca.

Após várias negociações frustradas, Lucas Veríssimo está interessado em deixar o Santos, tanto que precisou ser convencido a seguir atuando pelo clube após o Conselho Fiscal rejeitar oferta do Benfica. A ideia é negociá-lo, aceitando a oferta de aproximadamente 6,5 milhões de euros (cerca de R$ 41 milhões). O Santos, porém, trabalha para só liberar Veríssimo após o fim da participação do time na Libertadores.

A questão envolvendo Cuca não é tão urgente, mas a nova gestão do Santos quer mantê-lo para a temporada 2021. O contrato com o treinador se encerra no fim de fevereiro. E como o clube vem atendendo aos pedidos do treinador, como o apelo público para que Luan Peres não deixasse a Vila Belmiro antes dos confrontos com o Boca Juniors, a expectativa é de que seja fechado um novo acordo com o técnico.

"Quero pedir paciência com o Andres Rueda, porque situação não está fácil. Está bem encaminhada, mas resolvida não. Ele está muito bem intencionado. Cercado de pessoas sérias e competentes. Se tiver paz e tranquilidade, a gestão dele pode ser uma das melhores da história do Santos", afirmou Orlando Rollo, que vinha presidindo o Santos desde o impeachment de José Carlos Peres.

Rueda tem José Carlos de Oliveira como vice-presidente após vencer a eleição com 3.936 dos 8.249 votos dos sócios participantes. Ele definiu Walter Schalka, José Renato Quaresma, Ricardo Campanário, Dagoberto Oliva, Vitor Sion, Rafael Leal e José Berenguer como demais membros do Comitê de Gestão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.