Ernesto Rodrigues/AE - 5/2/2010
Ernesto Rodrigues/AE - 5/2/2010

Santos insiste na liberação de Robinho para o clássico

Para que jogador enfrente o Corinthians, clube tenta adiar a apresentação do atleta à seleção brasileira

Sanches Filho, Agencia Estado

18 de fevereiro de 2010 | 19h06

O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, é a última esperança do Santos de conseguir adiar a apresentação de Robinho à seleção brasileira para contar com a sua principal estrela no clássico contra o Corinthians, dia 28, na Vila Belmiro, pela 11.ª rodada do Campeonato Paulista.

Veja também:

linkSantos está perto de anunciar Alex Sandro e Zezinho 

PAULISTÃO - lista RESULTADOS / tabelaCLASSIFICAÇÃO

Nesta quinta-feira, a CBF divulgou em seu site a programação para o amistoso do Brasil contra a Irlanda, dia 2 de março, em Londres. Os jogadores que atuam no País terão que se apresentar às 18 horas do dia 27, no Rio, ou às 21 horas no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Mesmo assim, os dirigentes santistas não desistem da presença de Robinho no clássico.

"O presidente Ricardo Teixeira está em Zurique, na Suíça, e isso dificulta um pouco. Mas o nosso presidente (Luís Álvaro) está tentando um contato com ele para que o nosso pedido seja atendido", disse o diretor de futebol do Santos, Pedro Luís Nunes.

A primeira tentativa do Santos de liberar Robinho para o clássico foi na Federação Paulista de Futebol (FPF). "Tentamos antecipar o jogo para o dia 27, mas a Federação respondeu que era impossível". Depois, os dirigentes tentaram convencer Dunga a aceitar que Robinho se apresentasse no dia 1.º de março, em Londres, e outra vez ouviram um não. "Ele disse que não pode abrir exceção. Agora, esperamos a palavra do presidente da CBF", concluiu Nunes.

Além da importância de Robinho no clássico diante do Corinthians, provavelmente num duelo contra Ronaldo Fenômeno, os santistas dependem do atacante para fechar dois ou três contratos de publicidade, pontuais para o jogo, e que ajudariam no pagamento do salário do seu jogador mais caro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.