Santos lamenta chances perdidas e empate no fim

Os próprios jogadores admitiram o excesso de oportunidades desperdiçadas nos 45 minutos finais

Sanches Filho, Agencia Estado

30 de janeiro de 2009 | 00h10

SANTOS - Na sua pior atuação da temporada, o Santos deixou a condição de 100%. O empate por 1 a 1 com o Mirassol, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, fez a equipe chegar aos sete pontos após três rodadas. Domingo, o adversário será o Ituano, fora de casa.Veja também:Santos leva gol no último lance e cede empate ao Mirassol Paulistão 2009 - Tabela e classificaçãoConfira as novidades do mercado do futebol Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão O alvinegro praiano abriu o placar no primeiro tempo com Roni, mas vacilou no último lance da partida, em chute de longe do atacante Wesley. Isso fez Fábio Costa deixar o gramado pedindo desculpas para a torcida. "Fábio Costa é profissional e já salvou a gente muitas vezes. Todo mundo tem que apoiar todo mundo em uma hora como essa", defendeu o artilheiro Kléber Pereira, que pela primeira vez em 2009 deixou o gramado sem fazer gols."No lance decisivo do jogo, foi um erro meu. Não tenho medo de dizer isso. Faz parte da minha profissão. Tenho a maior tranquilidade do mundo de pedir desculpas para o torcedor santista que foi para casa chateado com esse resultado", disse o goleiro, já na entrevista coletiva após o empate em casa.O público que estava na Vila Belmiro já havia começado a reclamar da atuação apática da equipe bem antes do empate. Os próprios jogadores admitiram o excesso de chances perdida nos 45 minutos finais. "Estávamos com o jogo na mão e deixamos escapar no último lance. Serve de lição. Não adianta só criar, é preciso matar o adversário senão pode ser surpreendido. Eles só bateram de fora, não tiveram nenhum lance de perigo", reclamou Fabão, que voltou a ser escalado depois de quase deixar o Santos no início da temporada.O único motivo de comemoração foi de Roni, que fez o primeiro gol pelo clube, pouco antes de Bolaños ganhar condição de jogo e entrar na briga por uma vaga no ataque. "Contei com a sorte porque houve desvio do chute, mas foi importante porque as jogadas não estavam acontecendo. Não sei se foi frango ou não. Só sei que a bola entrou e é isso o que vale no final das contas", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato PaulistaSantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.