Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Santos: Leonardo, o zagueiro "família"

Qual pai deixaria O filho, de 12 anos de idade, morar a 700 km de distância, em um alojamento, sem qualquer contato com a família por meses seguidos? E ousaria apostar no futebol para substituir a adolescência e a educação do filho? O zagueiro Leonardo, do Santos, cujo nome de nascimento é Leonardo José Aparecido, está se firmando como titular de uma das principais equipes do futebol brasileiro. Tem 18 anos - completa 19 no dia 19 de março próximo - e se emociona ao comentar a falta que sente de não ter levado uma vida normal.Mas, não se arrepende. Agora, ele quer dar uma vida melhor para a família simples, de Araçatuba (SP), onde começou no dente de leite do Comercial (clube amador da cidade) e foi levado ao Santos pelo presidente daquele clube, José Carlos Magalhães. "Morava na concentração. Às vezes me sentia sozinho, com saudade, chorava, queria estar com meus amigos, da minha idade, passeando, namorando... Isso foi difícil para mim. Eu ia à igreja, a religião me deu forças para continuar lutando", diz, lembrando de dias muito difíceis que passou em Santos. ?Minha mãe vinha me visitar uma vez a cada dois, três meses e a saudade era imensa, não sabia lidar com ela, mas tinha só 13, 14 anos.?Agora, a vida de Leonardo mudou. Ele mora em um apartamento no bairro de Gonzaga, alugado pelo Santos, o que lhe tirou do alojamento da concentração há cerca de quatro meses. A mudança trouxe sua família para perto. "Minha mãe agora mora comigo, mas minha intenção é melhorar cada vez mais para conseguir algo de bom para minha família", diz Leonardo, que concluiu o ensino médio e pretende se formar em educação física. No jogo de sábado, os irmão de Leonardo assistiriam a primeira partida dele como titular. Não deverão se decepcionar, pois experiência não lhe falta. Convocado 18 vezes para as seleções brasileiras inferiores, Leonardo disputou o último Mundial Sub-17 e tem esperanças de que um dia seja convocado para a seleção principal. "Sei que isso está longe, mas é um sonho de todo jogador", diz.O futebol não o espanta. O que mudou? "Acabou aquela correria, aquela afobação de quando estava nos times de baixo. O futebol agora é mais fácil de ser jogado", diz, comentando sua atuação na equipe titular favorita do Campeonato Brasileiro.Leonardo não comenta o fato de ter colocado Ávalos - uma das principais contratações do Santos para o Brasileiro - no banco. "Eu agradeço a oportunidade que me foi dada, mas isso só me leva a trabalhar com mais responsabilidade para aprimorar meu trabalho", diz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.