Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Lisca assume o comando, inicia trabalhos no Santos com treino para reservas e incentivo a Sánchez

Mesmo sem as principais peças, poupadas após a vitória sobre o Botafogo, treinador faz trabalho em campo reduzido nesta quinta-feira

Redação, Estadão Conteúdo

21 de julho de 2022 | 13h30

O time titular do Santos fez apenas um trabalho regenerativo nesta quinta-feira após a vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo, na Vila Belmiro. Mesmo sem as principais peças, Lisca não quis saber de perder tempo e já iniciou o trabalho no clube. O treinador comandou um treino em campo reduzido com os reservas e a todo tempo incentivava os jogadores pela entrega, sobretudo o meia Carlos Sánchez.

Com a suspensão de Vinícius Zanocelo, o técnico não poderá repetir a escalação diante do Fortaleza, fora de casa, no domingo. Camacho entrou diante dos cariocas no segundo tempo e tende a ser o substituto. Mas o treinador estuda outras possibilidades para a formação do meio campo. Sanchez aprimora o ritmo para tentar ser o armador tão buscado no Santos.

No treino desta quinta-feira, a todo momento Lisca elogiava a disposição de Sánchez. "Abre espaço, abre o campo, boa Carlos, isso, Carlos", gritava com o uruguaio, satisfeito com a rápida movimentação e os toques limpos para os companheiros. Balieiro também satisfez o comandante nas atividades.

O trabalho de marcação sob pressão é uma tendência para a visita ao Fortaleza. O Santos sonha em brigar por vaga na Libertadores e sabe que precisa melhorar muito seu retrospecto como visitante. Após emplacar três vitórias seguidas na Vila Belmiro, a ordem agora é melhorar o desempenho longe de casa.

Em oito visitas no Brasileirão, o Santos ganhou apenas do Juventude, de virada, por 2 a 1. Foram três derrotas e quatro empates, desempenho de 29,1%. Lisca chegou confiante em acabar com esses números ruins e não quer dar chances de reação ao penúltimo colocado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.