Santos livra CT da base de penhora por dívida com o Tombense-MG

Pendenga refere-se a contrato com jogador Cícero, hoje no Flu

Estadão Conteúdo

12 de maio de 2016 | 08h00

O Santos está com as finanças complicadas, mas pelo menos conseguiu se livrar de um problema nos últimos dias. A dívida que o clube tem com o Tombense-MG por causa do empréstimo do volante Cícero, que atualmente está no Fluminense, foi negociada e com isso uma das penhoras sobre o CT Meninos da Vila, das categorias de base, foi retirada.

A dívida, que inicialmente era de R$ 500 mil, chegou a R$ 760 mil em função do atraso nos pagamentos. O Santos reconheceu esse valor em um acordo pelo qual se responsabilizou também pelas custas judiciais e pelos honorários dos advogados do time mineiro e, com isso, obteve um desconto. O clube paulista vai pagar à Tombense R$ 578 mil, em 10 parcelas. Cícero jogou no Santos de janeiro a maio de 2014 e foi, inclusive, artilheiro do Campeonato Paulista naquela temporada.

Em outra frente, o clube procura reforços para o Campeonato Brasileiro, mas poderá ter de esperar para contar com um jogador cuja ida para a Vila Belmiro já estava acertada há pelo menos um mês: o atacante Rodrigão. Isso porque o Campinense-PB, clube atual do jogador, só vai liberá-lo após o fim do Campeonato Paraibano. O time rubro-negro vai disputar a taça contra o CSP.

O problema é que existe uma briga no Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba. O Treze, eliminado nas quartas de final, pediu a eliminação do Campinense, sob a alegação de descumprimento de regras do Profut. Com isso, o campeonato foi paralisado e não há ainda a menor expectativa de quando os dois jogos da decisão na Paraíba serão realizados. Assim, o Santos terá de esperar para contar com o reforço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.