Santos: Luciano Henrique deve estrear

O Santos pode ter uma novidade no jogo deste domingo contra o Coritiba, na capital paranaense: o meia-atacante Luciano Henrique pode fazer sua estréia no time. Gallo considerava essa possibilidade no treino desta sexta-feira, mas pode também manter a formação com três volantes. "Em todas as partidas que o Zé Elias entrou, fez um bom trabalho de sustentação, principalmente para o Ricardinho que fica mais tranqüilo para jogar sem tanta necessidade de marcação". O treinador confirmou também que Giovanni está quase chegando: "existe o contato, não está 100% certo, mas está bem próximo", disse ele, ressaltando que a contratação não está ainda fechada. Com Fabinho, Bóvio e Zé Elias formando o meio-de-campo marcador o Santos tem conseguido suas vitórias, mas pode ter chegado o momento de Luciano Henrique, contratado semana passada, ter sua chance no time principal. "Nós experimentamos esse jogador, que tem enchido os olhos nos treinamentos técnicos e é realmente um destaque", disse Gallo, deixando a decisão para domingo, sem estresse: "as duas formações são boas". Luciano Henrique pode ter chegado com uma grande responsabilidade: a de substituir o polivalente Elano, que deixou o clube no começo do ano. "Ele pode realizar a função de Elano", disse Gallo, "pois é um jogador que vem fazendo bons jogos que vimos durante a competição e até tinha indicado-o para a Portuguesa quando eu estava lá, já que sabia de sua qualidade. Além de ser um armador, sabe fazer gols e isso parece muito com o que o Elano fazia". Para Gallo, se Luciano Henrique não tem a qualidade técnica de Elano, "se aproxima muito e é um jogador rápido". Também o meia Elton, trocado por Domingos com o Grêmio e que fez o primeiro treino nesta sexta-feira com o novo grupo. "Já o conhecia de quando trabalhei no clube gaúcho e pedimos sua vinda: ele joga como segundo volante, como ala, sua posição de origem é meia. É versátil e vai ser muito útil ali pelo setor esquerdo". FÁBIO BAIANO - O técnico Gallo comentou a dispensa do meia Fábio Baiano, pedida por ele. "Tomara que ele seja feliz e tenha sucesso no Atlético. Não tenho nada contra sua pessoa, mas como profissional não vinha atendendo da maneira que queríamos". Segundo o treinador, pelo que o atleta vinha apresentando, seu custo era muito alto.

Agencia Estado,

29 Abril 2005 | 20h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.