Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Santos luta contra jejum como visitante para não terminar rodada na degola

Diante do Atlético-PR, time da Baixada tenta diminuir retrospecto de cinco vitórias em 15 partidas longe de casa

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2018 | 07h00

Sob pressão, o Santos enfrenta o Atlético Paranaense nesta quinta-feira, às 21 horas, na Arena da Baixada, em Curitiba, tendo a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro como um risco real. E para dissipá-lo em um confronto direto pela oitava rodada na briga contra a degola no início da competição, o time terá que encerrar um incômodo jejum como visitante: são cinco derrotas consecutivas longe de casa.

+ Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

+ Sasha diz que má fase do Santos incomoda mais que jejum pessoal de gols

O desempenho como visitante é uma das principais razões para críticas a Jair Ventura à frente do Santos. Afinal, além dos tropeços consecutivos fora dos seus domínios, o time tem retrospecto ruim nessas condições sob o comando do treinador, com apenas cinco vitórias nos 15 jogos que disputou fora de casa, além de dois empates e oito derrotas.

Em muitos desses compromissos, o Santos abdicou de atacar, algo que irritou o seu torcedor. E para aumentar o clima de cobrança sobre Jair Ventura, o time não marcou gols nos últimos quatro jogos, seja em casa ou como visitante. "Precisamos rever o que precisamos melhorar e ter tranquilidade para aproveitar quando a oportunidade surgir", avaliou o atacante Eduardo Sasha, ele também um jejum de 10 jogos sem marcar gols.

A situação ruim do time provocou protestos recentes da torcida, sendo que membros de organizadas se reuniram com os jogadores antes da viagem para Curitiba. Mas mesmo que a diretoria respalde o trabalho de Jair, todos no time reconhecem a necessidade de vitória, ainda mais que o adversário possui campanha semelhante e está em desvantagem apenas nos critérios de desempate.

"Acho que os dois clubes se encontram na mesma situação de pressão. Temos de saber jogar na casa do adversário. Eles vão ter de sair para o jogo e vão abrir espaço para a gente. Temos de ser cirúrgicos para sair com a vitória", acrescentou Eduardo Sasha.

Com vários problemas, Jair Ventura não pretende alterar a base da escalação que perdeu por 1 a 0 para o Cruzeiro, no último domingo, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, ainda mais que segue sem poder contar com o volante Alison, o lateral-direito Victor Ferraz e os meia-atacantes Arthur Gomes e Vitor Bueno, todos lesionados.

Além disso, acumulou novos problemas nos últimos dias, o principal deles envolvendo o volante Renato, que sofre com dores nas costas e pode ser poupado, dando chance a Léo Cittadini no meio de campo. O zagueiro Lucas Veríssimo, com incômodo muscular, ficou fora de alguns treinos, mas deve ser titular, ainda que Gustavo Henrique esteja de sobreaviso. Já o atacante Bruno Henrique, mesmo com dores nas bacia, deverá ficar como opção no banco de reservas.

ATLÉTICO-PR TEM REFORÇO NO BANCO

O Atlético Paranaense fez nesta quarta-feira o seu último treinamento antes de enfrentar o Santos, nesta quinta, às 21 horas, na Arena da Baixada, em Curitiba, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. O técnico Fernando Diniz confirmou a manutenção da equipe que empatou sem gols diante do Paraná. Recuperado de dores musculares, Pavez ficará como opção no banco de reservas.

O retorno do jogador como titular era muito especulado, mas Fernando Diniz preferiu dar continuidade na equipe que vem atuando. Pavez pode atuar tanto na defesa, quanto na lateral direita. Já o zagueiro Paulo André e o lateral-direito Jonathan seguem vetados pelo departamento médico.

Durante o treinamento, o treinador testou Renan Lodi na vaga de Thiago Carleto, mas a tendência é que o ex-jogador de São Paulo e Santos siga entre os titulares na lateral esquerda.

"É um jogo difícil. É uma equipe tradicional, com muitos jogadores que têm capacidade de decidir. Treinamos bastante e focados nas qualidades do Santos. Outro ponto que caracteriza o nosso adversário historicamente é ter jogadores técnicos, que tocam bem a bola. São jogadores que temos que tomar cuidado", concluiu Fernando Diniz.

O Atlético Paranaense encontra-se em situação delicada e terá um confronto direto contra o rebaixamento diante do Santos. Atualmente soma apenas seis pontos com uma vitória, três empates e três derrotas - estes seis tropeços de forma consecutiva. Um jejum que já incomoda bastante.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-PR X SANTOS

ATLÉTICO-PR - Santos; Wanderson, Thiago Heleno e Zé Ivaldo; Matheus Rossetto, Camacho, Lucho González e Thiago Carleto; Nikão, Guilherme e Pablo. Técnico: Fernando Diniz.

SANTOS - Vanderlei; Daniel Guedes, David Braz, Lucas Veríssimo (Gustavo Henrique) e Dodô; Diego Pituca, Léo Cittadini (Renato) e Jean Mota; Rodrygo, Eduardo Sasha e Gabriel. Técnico: Jair Ventura.

JUIZ: Savio Pereira de Sampaio (DF)

HORÁRIO: 21h.

LOCAL: Arena da Baixada, em Curitiba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.