Santos mantém contratações em sigilo

O Santos conta os dias para poder anunciar as novas contratações, mantidas até aqui em sigilo para evitar complicações contratuais para os jogadores que estão se desligando de seus clubes. As especulações são muitas na Vila Belmiro e a chegada de Vanderlei Luxemburgo ao Brasil, prevista para quarta-feira, vai acelerar alguns entendimentos. É o caso do volante Maldonado, genro do treinador, e que interessa aos santistas, que tentam a contratação. A aquisição de reforços está sendo mantida sob o mais absoluto sigilo e o caso de Fábio Costa ilustra a preocupação dos dirigentes: o contrato do atleta com o Corinthians vence dia 31 e, até lá, não se pode falar em contratação. Outros jogadores já teriam assinado pré-contratos com os santistas, entre eles Luís Fabiano, um dos atletas pedidos por Vanderlei Luxemburgo. A renovação de contrato do meia Ricardinho também se arrasta e o atleta se divide entre as duas propostas que recebeu, do Santos e do Corinthians. A situação de instabilidade no Parque São Jorge e a volta de Vanderlei Luxemburgo podem ser fatores decisivos para sua permanência na Vila Belmiro, mesmo que para isso tenha que baixar sua pedida. LUXEMBURGO - Vanderlei Luxemburgo começa a trabalhar o grupo de jogadores no dia 26, quando todos passarão por avaliação física. No dia 3 de janeiro, será iniciada a pré-temporada. Até lá, os novos reforços deverão ser incorporados ao elenco. A apresentação do treinador ainda não está confirmada, devendo ocorrer na quinta ou na sexta-feira. Vanderlei Luxemburgo assinou contrato por dois anos com o Santos e sua eventual chamada pela CBF para dirigir a seleção depois da Copa do Mundo, no lugar de Parreira, não preocupa os santistas, que contam com ele para o sonho maior de conquistar a terceira estrela mundial em 2007. "Essa contratação foi importante para o projeto que o Santos tem para os próximos dois anos", disse o presidente Marcelo Teixeira, que previu a possibilidade de o treinador pedir dispensa antecipada por causa do selecionado. "Se a seleção trocar futuramente sua comissão técnica, nós temos um contrato que garante ao Santos ao menos uma multa, já que há uma cláusula que prevê isso para o caso de rescisão do compromisso, qualquer que seja a parte". Para o dirigente, o clube quer que Luxemburgo desenvolva seu trabalho nos próximos dois anos. "Nossa meta é comum: recolocar o Santos na disputa da Libertadores".

Agencia Estado,

19 de dezembro de 2005 | 19h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.