Santos massacra San José-BOL pela Copa Libertadores

Colombiano Molina dá show e marca quatro gols na vitória santista por 7 a 0 na Vila Belmiro

André Rigue, estadao.com.br

01 de abril de 2008 | 22h26

Um show! Assim foi a apresentação do Santos na noite desta terça-feira na goleada sobre o San José, da Bolívia, por 7 a 0, pela quarta rodada do Grupo 6 da Copa Libertadores da América. Com o resultado, o time de Leão foi para sete pontos e se consolidou na segunda posição da chave, atrás do Cucuta-COL, com oito. Veja também: Classificação  Resultados e calendário  Apesar dos quatro gols, Molina não sonha com artilharia A vitória também deixa o Santos bem perto da vaga nas oitavas-de-final. Se vencer o Chivas na próxima rodada (dia 9 de abril, quarta-feira), no México, o clube praticamente garantirá a classificação, uma vez que os dois primeiros de cada chave avançam para o mata-mata. No jogo desta terça-feira, Leão colocou força máxima em campo. Rodrigo Tabata ocupou a vaga de Sebastian Pinto, em má fase. Denis, recuperado de contusão muscular, substituiu Adoniram, que não está inscrito na Libertadores. Já Marcinho Guerreiro e Betão, que não atuaram contra o Rio Claro (suspensos no Paulistão), retornaram. ENTROSADODepois de um péssimo início de temporada, o elenco do Santos mostrou que finalmente se adaptou ao esquema de Leão. E a vítima foi o San José. É verdade que a equipe boliviana, sem jogar nos 3.700 metros de altitude de Oruro, é muito frágil. No entanto, o Santos fez uma apresentação de encher os olhos do torcedor, principalmente Molina. Mas o primeiro gol foi feito por um jogador de defesa. O zagueiro Domingos, que em muitos jogos recebeu críticas pela instabilidade, utilizou a cabeça para marcar aos 17 minutos do primeiro tempo, após cobrança de falta de Kleber - a bola foi forte e o goleiro Vaca nada pôde fazer. E Vaca, ao ter a rede balançada, ficou nervoso e cinco minutos depois literalmente deu uma "patada". O colombiano Molina abriu espaço na marcação e bateu de perna esquerda, na entrada da área. O goleiro do San José se atrapalhou e a bola entrou para a felicidade dos cerca de 8 mil santistas presentes na Vila. Santos7Fábio Costa; Denis (Fabão), Domingos, Betão e Kléber; Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto, Molina e Rodrigo Tabata (Quiñones); Wesley (Tiago Luis) e Kléber Pereira    Técnico: Emerson LeãoSan José-BOL0Daniel Vaca; Parada, Palacios    , Castro, Alvarenga, Gárcia; Ribera, Sandro Coelho    , Peña (Saucedo) e Alex da Rosa     (Palavicini); Cerutti (Morejón)Técnico: Marcos FerrufinoGols: Domingos, aos 17, e Molina, aos 22 e 32 minutos do primeiro tempo; Molina, aos 18; Kleber Pereira, aos 34, Quiñones, aos 36, e Molina, aos 41 minutos do segundo tempoÁrbitro: Líber Prudente (URU)Renda: R$ 127.720,00Público: 8.340 pagantesEstádio: Vila BelmiroOs bolivianos viram que não teriam capacidade para tentar empatar e recuaram, em vão, para tentar evitar uma goleada. Mas Molina estava inspirado e fez o terceiro do Santos ainda no primeiro tempo. Aos 32 minutos, o colombiano aproveitou rebote após jogada de Wesley e tocou no canto do goleiro. É MASSACREMesmo com a vitória garantida, o Santos não reduziu o ritmo. O clube chegou ao quarto gol aos 22 minutos da segunda etapa - este, por sinal, foi o mais bonito da partida. Kléber ganhou na velocidade e cruzou para Molina, que acertou um chute de primeira para o fundo das redes. Mais dois jogadores também brilharam na noite desta terça-feira. O atacante Kléber Pereira não podia deixar de anotar o seu e balançou a rede aos 34 minutos (foi o seu 30.º gol com a camisa do Santos). Já o equatoriano Quiñonez se emocionou ao marcar o o primeiro pelo clube, aos 36. E a festa foi fechada pelo seu principal protagonista: o colombiano Molina. Com classe, ele cortou o zagueiro Alvarenga, bateu cruzado e fez o seu quarto aos 41 minutos. Assim, ele estabeleceu a maior goleada da Copa Libertadores 2008, superando os 6 a 0 aplicado pelo Fluminense no Arsenal-ARG.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCCopa LibertadoresMolina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.