Santos não define festa para Robinho

O Santos ainda não decidiu como será a despedida de Robinho, o maior ídolo do clube desde Pelé. Pelo acordo feito, o atacante ainda atuará mais quatro vezes com a camisa santista e o mais provável é que ele se despeça da torcida no dia 21, no jogo contra o Figueirense na Vila Belmiro. Depois disso, ele ainda terá de enfrentar o Paysandu, em Belém, mas torce por uma dispensa antecipada para ganhar tempo para a apresentação no Real Madrid, prevista para o dia 27. Dirigentes e atleta conversam sobre a melhor maneira de fazer a despedida, mas ainda não há um consenso. Robinho já manifestou o interesse de se despedir na Vila Belmiro, junto à torcida que o idolatra. "E espero me despedir com gol", disse ele, que não vê a hora de viajar para a Espanha. Na comissão técnica, esse problema ainda não está sendo discutido e a preocupação mais imediata é a formação do time para o jogo contra o Brasiliense, na Vila Belmiro. O técnico Gallo não poderá contar com Zé Elias, Wendel, suspensos, Bóvio, Fabinho e Paulo César. Em compensação, Ricardinho e o lateral-esquerdo Carlinhos têm retorno garantido. O volante Zé Elias foi surpreendido pela suspensão, pois nem sabia que estava pendurado com dois cartões amarelos. Ele estava afastado desde o dia 15 de julho por contusão e achava que o cartão que levou contra o Paraná não provocaria sua suspensão. "Joguei bem, não senti qualquer dor durante a partida, só cansaço", disse ele, que esperava ter uma série de partidas para pegar maior ritmo de jogo. Wendel foi expulso e cumprirá suspensão automática. Segundo o médico Carlos Braga, o lateral-esquerdo Carlinhos tem grande possibilidade de jogar. Recuperado da contusão, ele vinha fazendo treinamento físico e amanhã começará a treinar com o grupo. Já o volante Bóvio, com estiramento muscular, não terá condições de jogar e poderá ficar mais uma semana afastado. "Durante o jogo contra o Internacional ele teve uma dor forte no adutor, passou por uma ressonância magnética que acusou lesão muscular". Fabinho, outro volante, se contundiu no treino realizado sexta-feira em Maringá. "Ele reclamou de dor forte no adutor, fizemos uma ressonância acusou um edema, um processo de inflamação agudo", revelou Braga. A situação do atleta preocupa o médico. O lateral-direito Paulo César é dúvida e passará por nova ultrassonografia amanhã. Mesmo com tantos problemas, Gallo se mostrava hoje satisfeito com o desempenho da equipe. Pelo seu sistema de trabalho, o campeonato Brasileiro foi dividido em ciclos de três partidas. "A meta mínima para os últimos três jogos era conseguir seis pontos e ganhamos sete", disse ele, que voltou a reclamar da arbitragem de domingo: "Quando o juiz aparece mais que os atletas, não é bom". O Santos pode apresentar amanhã dois novos reforços: o zagueiro Luiz Alberto e o volante Gavião. Eles passaram por exames médicos e foram liberados para a contratação e as negociações estão sendo concluídas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.