Santos não deve evitar desmanche

A renovação de contratos dos jogadores do Santos está ficando cada vez mais complicada e agora André Luís e Fabiano, com propostas do exterior, podem também deixar a Vila Belmiro se não houver acordo. Renato, Fábio Costa e Léo estão na mesma situação. Mas não é só isso que preocupa os dirigentes santistas, que acompanham os rivais se reforçando a cada dia. O São Paulo já contratou o atacante Grafite e pode anunciar logo Cicinho e Marquinhos. Os três estavam na lista do técnico Emerson Leão, que contém outros nomes mantidos em sigilo para não atrapalhar as negociações. Pouco antes, os santistas tinham perdido Araújo para o futebol japonês. Com onze contratos a renovar nos próximos dias, o quadro é de indefinição do grupo de jogadores para a próxima temporada, principalmente porque a política salarial do clube não permite ganhos mensais superiores a R$ 80 mil. Diante disso, os atletas que já estão nesse nível estão pedindo luvas para a renovação contratual. Também os jogadores que têm contratos mais longos cogitam aumento e o prazo passou a não ser garantia de permanência. A saída de jogadores com vínculo federativo ao Santos pode também ocorrer depende da intensidade do assédio e do dinheiro que os estrangeiros estão dispostos a investir. Nesse caso estão, por exemplo, Robinho, Diego e Alex. Os três foram revelados pelo Santos e têm mercado no exterior. Se depender da vontade do presidente Marcelo Teixeira, reempossado nesta terça-feira para o seu quarto mandato, a dupla Diego-Robinho permanecerá na Vila Belmiro, mas Alex poderá ser liberado se a proposta for boa. Até mesmo Diego poderá sair, mas aí a proposta terá de ser excepcional. Com multa rescisória estipulada em R$ 50 milhões, o jogador precisa da concordância de Teixeira para ser transferido ao futebol europeu, o sonho de seu pai e procurador, Djair Cunha. Como o jogador detém metade do passe, o clube está pedindo valor superior a US$ 10 milhões pela sua parte, o que pode dificultar a negociação. Em junho, quando o Santos detinha 60%, a oferta de US$ 14,5 milhões feita pelo inglês Tottenham foi rejeitada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.