Santos não quer Giovanni agora

O sonho de muitos torcedores santistas, principalmente aqueles que estão hoje com idade entre 20 e 30 anos, não deve se realizar. E o pior: pode se tornar pesadelo. Segundo o presidente do Santos, Marcelo Teixeira, o meia Giovanni, grande ídolo dos santistas nos anos 90, não será contratado agora. Pode até vir em julho, quando expira seu contrato com o Olympiakos, da Grécia. Mas não agora. A idéia seria recontratá-lo assim que o atual ídolo do time, o atacante Robinho, concretizar sua transferência para o futebol europeu. O problema é que, até lá, o jogador já poderá ter sido contratado por outro clube brasileiro. O Palmeiras já mostrou interesse. Diretores do clube alviverde procuraram o representante do atleta no Brasil. Depois de tentar e não conseguir fechar com Felipe, Juninho Paulista e Roger, Giovanni seria o "meia de expressão" que Estevam Soares está buscando para o Palmeiras. Essa possibilidade causa calafrios na torcida santista e Marcelo Teixeira sabe bem disso. Mas diz que não vai mudar seu "projeto"."Estamos com um trabalho de renovação muito importante, que já rendeu ótimos frutos para o clube. O Giovanni é um grande ídolo do clube, mas nossa aposta vai continuar sendo nas equipes de base. E não queremos que um jovem acabe sendo ofuscado por um grande ídolo como o Giovanni (de 32 anos) neste momento", diz o presidente santista. O curioso é que quando Teixeira assumiu o comando do clube, em 2000, passou a fazer vários investimentos em jogadores "trintões". Contratou Rincón, Edmundo, Valdo e Márcio Santos, entre outros. Só mudou essa mentalidade quando a fonte "secou" e dois meninos talentosos despontaram nas equipes de base do clube: Diego e Robinho. "Cometemos erros que nos serviram de lição. Hoje, posso dizer que a maior virtude da nossa administração foi ter redirecionado os investimentos", diz Teixeira. Apesar de praticamente descartar a contratação de Giovanni, o dirigente afirmou que poderia mudar de idéia caso o técnico Oswaldo de Oliveira o convencesse a contratar o jogador. Oswaldo e Teixeira conversaram hoje por quase uma hora após o treino da equipe pela manhã, em Atibaia. Quando a conversa acabou, os jornalistas, que esperavam na chuva, foram ouvir o treinador a respeito de Giovanni. Oswaldo, porém, se recusou a responder uma única pergunta. Disse que só vai dar entrevistas às terças e sextas. Em seguida, virou às costas e foi embora. Enquanto isso, o torcedor santista fica sem saber se o treinador aprova ou não a contratação do maior ídolo do clube nos anos 90. Mais reforços? - Marcelo Teixeira afirmou também que só vai procurar fazer mais uma contratação: para a lateral direita. Disse que a prioridade ainda é renovar com Paulo César, mas admite que está difícil convencer os franceses do Paris Saint-Germain a reemprestar o jogador. "Temos tudo certo com o Paulo César, mas o PSG só aceita vender o atleta, e não emprestar. Eles têm até o dia 31 para fazer isso, quando acaba as inscrições na Europa. Se não conseguirem, aí sim podem reemprestá-lo ao Santos", diz o presidente, que não tem uma ?segunda opção? para o lugar de Paulo César. "Está difícil achar um bom lateral-direito à disposição no mercado". Com isso, Flávio deve ser efetivado como titular neste início de temporada. Reserva de Paulo César durante todo o ano de 2004, Flávio confia na boa relação com Oswaldo de Oliveira, com quem trabalhou no Fluminense em 2001, para tomar conta da posição. "O Oswaldo conhece minhas qualidades, sabe do que eu sou capaz". Flávio diz que não se sente incomodado por ouvir o presidente do clube dizer que quer um novo lateral-direito e nem com o fato de o próprio treinador procurar meio-campistas no elenco que possam ser improvisados como lateral. "Eu me incomodaria se fosse escalado alguém improvisado logo no começo da temporada. Mas isso não vai acontecer, e eu vou ter muitas chances de mostrar o meu valor", diz Flávio. Amanhã, haverá o primeiro treino coletivo antes da estréia no Campeonato Paulista, contra a Portuguesa, na Vila Belmiro, quinta-feira. O treino será em Atibaia, onde o Santos está fazendo a pré-temporada. A maior dúvida está no gol, entre Mauro e o recém-chegado Henao. A zaga deve ser composta por Flávio, Antônio Carlos, Ávalos e Léo. No meio-campo, o volante Tcheco, que está há dois meses sem jogar, também é dúvida. Se não jogar, Zé Elias e Bóvio são os candidatos a substitui-lo. Nas outras posições, nenhuma surpresa: Fabinho, Ricardinho e Elano, com Robinho e Deivid no ataque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.