Santos não quer reabilitar o Atlético

Invicto há dez jogos, o Santos enfrenta neste domingo o Atlético Mineiro pensando em somar pontos não só para tentar volta à liderança, mas também para garantir uma vantagem na classificação, já que depois irá jogar contra Palmeiras e Fluminense, dois candidatos ao título deste ano. Mais uma vez, o time jogará desfalcado e a novidade será a escalação do lateral-direito Paulo César no lado direito. Contundido, Giovanni será substituído por Bóvio, que volta a ser titular mesmo com o problema envolvendo a negociação para prorrogar seu contrato, que vence dia 5 de dezembro.O ponto principal das conversas entre a comissão técnica e os jogadores nesta semana é a irregularidade. Gallo está preocupado com a perda de pontos para times que estavam na zona de rebaixamento nas últimas rodadas. O que incomoda é que a situação se repete neste domingo: o Santos está entre os líderes enquanto o adversário está nas últimas colocações. "Já tivemos problemas contra o Vasco e o Flamengo na Vila Belmiro e em outros jogos que teriamos de ter trabalhado melhor", disse o treinador. "São situações que acontecem no futebol e temos de estar preparados, pois numa competição de 42 jogos não dá para manter um equilíbrio, uma uniformidade. Sempre pode ter oscilações, como o time teve contra o Flamengo". O volante Elton, que volta ao time, comentou na sexta-feira que "o time está a um ponto do líder e é uma partida importante para que a gente possa voltar à liderança". Para ele, o campeonato está muito equilibrado e mesmo jogos contra time que estão mal colocados representam perigo. "Mesmo o Atlético estando lá embaixo, tem uma boa equipe, jogadores muito bons e vai ser um confronto difícil". Elton estava preocupado com a possibilidade de jogar improvisado na lateral-esquerda, mas Gallo optou por Paulo Sérgio. "Espero jogar na minha posição e o técnico não me passou nada de jogar na lateral-esquerda, disse ele. Paulo César, entretanto, estava pronto para trocar de lado. "Joguei na esquerda há muito tempo e não haverá problema na parte técnica", disse ele, ressalvando que a parte tática pode sentir um pouco. "Estou acostumado a jogar pelo lado direito e vou ter de me posicionar de outra maneira."Outra novidade para esse jogo é a escalação do novato Zé Leandro na lateral-direita. Ele não se surpreendeu desta vez. "A surpresa foi no jogo contra o Coritiba. Eu pensei que ia ficar no banco e em cima da hora o professor me falou que eu ia entrar jogando". Promovido do time de juniores, ele acha que ainda tem muito a aprender, "principalmente no setor defensivo, pois ataco bem". Sua única vontade: "fazer meu papel, que é jogar bola."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.