Santos otimista em ficar com Léo e Renato

Depois de conseguir renovar os contratos do goleiro Fábio Costa e do zagueiro André Luís, o Santos está otimista em relação à renovação contratual de Léo e até mesmo a de Renato, considerada a mais difícil pelos dirigentes. É o caso mais complicado e os santistas confiam na palavra do jogador de que só deixará a Vila Belmiro para um grande clube europeu. "Renovar esses contratos é a nossa prioridade", disse Francisco Lopes, o diretor de Futebol.Mas os santistas querem reforços também. O nome mais próximo da Vila Belmiro é o do meia Claiton, do Internacional de Porto Alegre. O Santos poderia ceder um jogador nessa transação, que pode ser Wellington ou William. Mas o clube gaúcho quer também o lateral-esquerdo Rubens Cardoso, que está livre para negociar sua transferência.Segundo Francisco Lopes, a questão financeira não é a única que os jogadores devem levar em conta ao se decidirem. "Eles são profissionais, têm uma carreira curta e têm de aproveitar ao máximo, mas nem sempre o dinheiro é a coisa mais importante para o jogador de futebol". E citou o exemplo de Ricardinho, que não conseguiu jogar no São Paulo. "E ganha R$ 420 mil por mês". Lopes continua seu raciocínio: "o dinheiro não é tudo na carreira do jogador de futebol e eu torço para que eles ponderem e tenham cautela quando forem decidir se deixam o Santos".Esse argumento valeu para Fábio Costa. Dividido entre o Santos e o Corinthians, optou em permanecer na Vila Belmiro, conforme garantiu o presidente Marcelo Teixeira, que insistiu e conseguiu a renovação. É que o clube de Parque São Jorge só vai disputar o Paulista no primeiro semestre e o Santos tem um atrativo maior: a Libertadores da América.Além disso, o grupo está sendo mantido e reforçado, pois a meta da diretoria é conquistar os três títulos que o time disputará em 2004 e investe muito nisso. Essa renovação, porém, ainda não foi confirmada no site que o goleiro tem na internet.Francisco Lopes está otimista em relação à renovação de Léo e do próprio Renato, este último o mais difícil. "Nós sabíamos do grau de dificuldade para a renovação do contrato de Renato, que é o mais novo titular da seleção brasileira". Ele destacou que o volante tem 24 anos e está sendo assediado por alguns clubes da Europa. "Nessas condições é normal que o jogador apresente uma pedida muito alta, mas ela fugiu totalmente da realidade financeira do Santos e dos outros clubes brasileiros".Os dirigentes têm paciência e sabem que o quadro está mudando, pois o aperto financeiro não faz parte só do universo santista. A esperança é que, não fechando contrato com algum clube de expressão do futebol brasileiro, o volante tenha de se voltar para os clubes brasileiros e aí haverá condições de mantê-lo na equipe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.