Santos paga atrasados e exige vitória

A diretoria do Santos fez a sua parte: liberou hoje o pagamento dos direitos de imagem que estavam em atraso. Agora, espera que o elenco cumpra a sua, que é a de vencer o Fluminense, às 16 horas deste sábado, no Maracanã. Para esse jogo, a equipe ainda conta com uma indefinição, já que o técnico Celso Roth está com dois times na cabeça, devendo anunciar a escalação pouco antes da partida. Durante toda a semana, o time treinou com uma formação mais ofensiva, com o meia Renato fazendo o papel de segundo volante. Esquerdinha e Diego ficaram com a missão de articular as jogadas de ataque, enquanto Robert e Oséas seriam os atacantes. Celso Roth não gostou do que viu: a defesa ficou vulnerável e os gols, apesar das oportunidades criadas, não surgiram. Hoje pela manhã, ele procurou acertar a marcação no meio-de-campo, promovendo a volta de Paulo Almeida na função de segundo volante. Avançou Renato e o novato Diego perdeu a vaga de titular. "Diego e Renato são ofensivos, enquanto Paulo Almeida garante melhor marcação no meio-de-campo". O time pode entrar em campo com qualquer uma dessas formações, mas é mais provável que ele opte com a escalação de dois volantes marcadores. "Mesmo com dois zagueiros, o time conseguiu um bom equilíbrio na defesa", revelou. Pressão - E equilíbrio é tudo o que Celso Roth quer nessa partida. O Santos ainda não venceu fora de casa nesta temporada, está há quatro partidas sem vitória, tendo sido desclassificado da Copa do Brasil. Uma derrota contra o Fluminense pode reduzir as chances de o time ficar com uma das quatro vagas no Rio-São Paulo e isso preocupa a diretoria do clube, que manteve reunião com os jogadores nesta semana na tentativa de retomada da boa campanha que vinha desenvolvendo. Hoje, foi realizado o pagamento de direitos de imagem que estavam atrasados, o que deve melhorar o astral dos atletas. Uma nova derrota, porém, poderá agravar não só a crise financeira do clube, mas também a do departamento de futebol. Apesar de todos os desmentidos nesse sentido, Celso Roth pode perder o cargo diante de um mau resultado amanhã. Acostumado a trabalhar sob pressão, ele não se preocupa. "Estamos sendo pressionados desde que iniciamos o trabalho", disse ele, garantindo que "essa é a rotina num time de ponta como o Santos". O treinador vem fazendo críticas à falta de qualidade técnica da equipe, situação que desagrada alguns jogadores. Hoje ele voltou a comentar que o time está nessa situação por conta dos erros que vem cometendo dentro de campo. "O Santos está dando oportunidade aos adversários", disse, lamentando os erros individuais cometidos pela defesa. Ao mesmo tempo em que Celso Roth prega a realização de uma seqüência de jogos com a mesma equipe, promove sistemáticas alterações no time e isso provoca desequilíbrio no grupo, principalmente entre os mais jovens. Carlos Germano - Se a diretoria conseguiu apagar alguns incêndios esta semana, conta com mais uma disputa judicial. O goleiro Carlos Germano cobra na justiça R$ 6 milhões pela rescisão contratual e não mais aceita acordo com o clube. Mais: vai exigir indenização por perdas e danos, já que um cheque de R$ 31 mil dado a ele pelo Santos foi sustado, provocando problemas para seu crédito junto aos bancos. Além do dinheiro, quer a liberação para poder jogar em outra equipe.

Agencia Estado,

15 Março 2002 | 16h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.