Ivan Storti/ Santos FC
Ivan Storti/ Santos FC

Santos paga multa de R$ 150 mil à Conmebol e faz oitavas da Sul-Americana com público

Time alvinegro ainda tenta provar junto à Conmebol que a Vila Belmiro tem capacidade para receber 20 mil torcedores

Redação, Estadão Conteúdo

10 de junho de 2022 | 16h32

O Santos não vai mais jogar com portões fechados o duelo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana contra o Deportivo Táchira. O clube informou nesta sexta-feira que a possível perda de mando após invasão de torcedores contra o Unión La Calera foi transformada em multa. Os santistas pagaram US$ 30 mil (aproximadamente R$ 150 mil) à Conmebol e garantiram atuar em sua casa no mata-mata.

Assim que o jogo com o Unión La Calera terminou, dia 18 de maio, também na Vila Belmiro, quatro santistas invadiram o gramado. O Santos agiu rápido, reconhecendo os invasores e até registrou um Boletim de Ocorrências contra eles.

O Santos ainda entrará na Justiça contra os invasores, buscando o ressarcimento da multa, baseado no Estatuto do Torcedor, que determina "não invadir e não incitar a invasão, de qualquer forma, da área restrita aos competidores", tendo o parágrafo único: "O não cumprimento das condições estabelecidas neste artigo implicará a impossibilidade de ingresso do torcedor ao recinto esportivo, ou, se for o caso, o seu afastamento imediato do recinto, sem prejuízo de outras sanções administrativas, civis ou penais eventualmente cabíveis."

"Será importante termos os nossos torcedores apoiando o time em mais uma decisão. Não seria certo toda a torcida ser penalizada por culpa de quatro irresponsáveis", afirmou o presidente santista, Andres Rueda.

"Vamos acionar legalmente esses invasores, buscando na Justiça o ressarcimento ao clube. Esperamos que isso não se repita, porque uma torcida e o próprio clube não podem ser prejudicados dessa forma por um ato como esse" completou o dirigente, revoltado com o ato de vandalismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.