TV Estadão | 22.02.2015
TV Estadão | 22.02.2015

Santos passa fácil pela Portuguesa em grande atuação de Robinho

Ídolo santista marca duas vezes e anima torcida com bonitos dribles em vitória sobre a Lusa; time é líder disparado do Grupo 4 do torneio

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

22 de fevereiro de 2015 | 17h56

Com 31 anos, duas Copas do Mundo no currículo e na terceira passagem pelo Santos, Robinho, o eterno Menino da Vila, ainda é capaz de bagunçar um jogo como fazia nos velhos tempos. Com dribles e gols, fez o velho Pacaembu reviver tardes históricas de goleada neste domingo na vitória por 3 a 1 sobre a Portuguesa.

A mandante da partida não pode jogar no Canindé pelos problemas de documentação do estádio. O clube ainda cedeu a maior cota de ingressos para o Santos e possibilitou à torcida alvinegra uma grande festa.

Robinho jogou sem marcação pelo lado esquerdo e a Portuguesa parecia fazer questão de deixá-lo livre. No primeiro lance, o camisa 7 deu toque de calcanhar. Na segunda participação, obrigou o seu marcador, Fabinho Capixaba, a fazer falta e levar o cartão amarelo. E na terceira chance, não vacilou e abriu o placar aos 17 minutos.

Antes de descrever a jogada é preciso elogiar a origem dele. O goleiro Vanderlei fez uma defesa e repôs a bola em jogo rapidamente. Além da esperteza, teve a precisão de acertar um passe de cerca de 40 metros até Robinho, que dominou, partiu para o gol, e como se driblasse cones, livrou-se dos defensores da Portuguesa para bater cruzado.

A torcida, então, já delirava com Robinho e a Portuguesa parecia gostar de proporcionar o espetáculo. Ninguém ao menos tentava cercar e evitar novos lances de perigo. Nem faltas a equipe tentou fazer. O Santos sequer buscava outras opções de jogo pela direita, com Geuvânio, ou acionar o centro-avante Ricardo Oliveira porque o camisa 7 tinha espaço e inspiração para criar.

O show de Robinho teve ainda mais dois atos antes do fim do intervalo. Em nova jogada individual, foi derrubado na área aos 33 minutos. Pênalti e chance para a torcida aproveitar o jogo parado e pegar os celulares para filmar com calma o novo gol do atacante. 

Atordoada, a Portuguesa já rezava para vir o intervalo quando novamente o Rei das Pedaladas deixou os zagueiros para trás e cruzou para Cicinho completar de cabeça, sem goleiro e nem marcação.

Após o intervalo o jogo foi mais um treino. A Portuguesa teve uma expulsão e o Santos diminuiu o ritmo. O tempo foi passando com as longas trocas de passes e os vários gols perdidos. A festa da torcida ao poucos diminuiu e a única comoção dela foi para aplaudir de pé a substituição de Robinho. O gol da Portuguesa pouco importou na tarde deste domingo.

FICHA TÉCNICA

PORTUGUESA 1 x 3 SANTOS

PORTUGUESA - Rafael Santos; Fabinho Capixaba (Perema); Alex Lima, Valdomiro; Paulo Henrique; Betinho; Fernandinho; Léo Costa, Edno; Diego Gonçalves (Filipi Souza) e Popó (Jean Mota). Técnico: Aílton Silva.

SANTOS - Vanderlei; Cicinho, David Braz, Werley, Victor Ferraz; Lucas Otávio, Renato (Elano), Lucas Lima; Geuvânio (Marquinhos Gabriel), Ricardo Oliveira e Robinho (Gabriel). Técnico: Enderson Moreira.

GOLS - Robinho, aos 17 e aos 32, e Cicinho, aos 44 minutos do primeiro tempo. Jean Mota, aos 44 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Fabinho Capixaba, Cicinho.

CARTÃO VERMELHO - Alex Lima.

ÁRBITRO - Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza.

RENDA - Não disponível.

PÚBLICO - 14.361 pagantes.

LOCAL - Estádio Pacaembu, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.