Alexandre Vidal/ CR Flamengo
Alexandre Vidal/ CR Flamengo

Santos pede ao STJD investigação sobre participação de Andreas Pereira em jogo com Flamengo

De acordo com os protocolos sanitários, meia deveria estar cumprindo quarentena na data da partida

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2021 | 22h59

O Campeonato Brasileiro tem vivido uma semana repleta de notícias envolvendo a justiça desportiva. Dessa vez, o Santos protocolou um pedido no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) para abertura de inquérito sobre a participação de Andreas Pereira, do Flamengo, no jogo disputado no dia 28 de agosto.

De acordo com as regras sanitárias, o jogador rubro-negro precisaria cumprir quarentena de 14 dias por ter vindo da Inglaterra. A mesma situação se aplicou ao atacante Willian, do Corinthians, que não pôde jogar no último domingo, diante do Atlético Goianiense. Antes de voltar ao time do Parque São Jorge, o atleta atuava no Arsenal, da Inglaterra. O Corinthians criticou "tratamento desigual".

Como a partida entre Santos e Flamengo já foi realizada, a equipe alvinegra pede que seja feita uma investigação sobre possível descumprimento dos protocolos e preenchimento de formulários de maneira incorreta pelo time carioca e seu jogador quando de sua chegada ao País.

As restrições para entrada de pessoas vindas da Inglaterra passaram a repercutir após a polêmica causada pela interrupção do jogo entre Brasil e Argentina, pelas Eliminatórias da Copa. Na ocasião, quatro jogadores argentinos (Martínez, Buendía, Romero e Lo Celso), que atuam em equipes inglesas, não poderiam atuar por não terem cumprido quarentena obrigatória.

Andreas Pereira foi emprestado pelo Manchester United e fez sua estreia pelo Flamengo na vitória por 4 a 0 sobre o Santos, na Vila Belmiro, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. O meia entrou em campo na etapa complementar e marcou o gol que sacramentou a goleada rubro-negra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.