Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Santos pede tempo para definir o futuro do técnico Claudinei Oliveira

Diretoria adia resposta final e afirma que ainda é cedo para divulgar opinião

Sanches Filho, Agência Estado

28 de outubro de 2013 | 19h09

SANTOS - Claudinei Oliveira vai ter de esperar mais um pouco para saber qual é a posição da maioria dos nove integrantes do Comitê de Gestão e se será mantido no cargo de treinador do Santos para a temporada de 2014 ou terá de procurar novo emprego no começo do ano que vem. Após o empate contra o Corinthians, no último domingo, na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara (SP), Claudinei Oliveira cobrou o posicionamento da direção a respeito do seu futuro no Santos, sob a alegação de que não pode esperar a resposta até 31 de dezembro, quando termina o seu contrato, porque até lá todos os clubes já formaram as comissões técnicas.

"A pergunta tem que ser para o presidente. Meu contrato vai até dezembro. Eles podem estar julgando que o que fiz até agora não é suficiente. É bom que isso seja definido para que eu possa definir a minha vida também. Não dá para esperar até 31 de dezembro e eu deixar de ouvir propostas", afirmou o treinador, ainda no domingo. A preocupação de Claudinei Oliveira é motivada principalmente pelas criticas que foram feitas ao seu trabalho por Francisco Cembranelli, um dos membros do Comitê de Gestão, que, inclusive, afirmou que o Santos tem de contratar um treinador com "T" maiúsculo.

Nesta segunda-feira, Cembranelli disse que entende a ansiedade do técnico, mas alega que o clube não pode se precipitar. "A gente está conversando, mas, como o campeonato está em andamento, é cedo para definir. É normal a expectativa dele, mas o Comitê tem o seu tempo. Ele pode ter ansiedade, mas o Comitê não vai se apressar", afirmou. O presidente do Santos e do Comitê de Gestão, Odílio Rodrigues Filho, não esteve no clube nesta segunda-feira e nem foi localizado para falar sobre o assunto. De acordo com a assessoria de comunicação santista, o dirigente teve de se ausentar para fazer exames médicos e continuar o tratamento de fisioterapia para se recuperar das fraturas que sofreu em junho passado em acidente doméstico.

Claudinei Oliveira assumiu o comando do Santos após a demissão de Muricy Ramalho em 31 de maio, inicialmente de forma interina, mas posteriormente acabou sendo efetivado no cargo pela diretoria. Com ele, o time disputou 34 partidas, com 13 vitórias, 11 empates e 10 derrotas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCClaudinei Oliveira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.