Juan Ignacio Roncoroni /EFE
Juan Ignacio Roncoroni /EFE

Santos perde para o Boca Juniors, se complica na Libertadores e amplia crise

Ainda sem definir o novo treinador, equipe alvinegra perde por 2 a 0 na Argentina e sofre segunda derrota na competição

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2021 | 23h30

O Santos fez apenas dois jogos na Libertadores, mas já se complicou bastante. Nesta terça-feira, perdeu do Boca Juniors por 2 a 0, na Bombonera, em sua segunda derrota na competição, e  ainda não tem ponto no Grupo C. Os argentinos lideram com 6 e podem ser alcançados hoje pelo Barcelona de Guayaquil, que recebe o The Strongest. Os bolivianos serão os próximos adversários do Santos, terça-feira, na  Vila Belmiro.

Se o time estava sob o impacto da saída de Ariel Holan,  o Boca  estava bastante desfalcado: 10 atletas do elenco  não tinham condições de jogo, seis  contaminados pelo vírus da covid, entre eles o goleiro Andrada.

No começo da partida, o Santos surpreendeu o Boca ao tomar ele a iniciativa do jogo. Pressionava a saída de bola dos argentinos, que não conseguia  escapar da armadilha. Com isso, os 10 primeiros minutos foram jogados quase todos no campo defensivo do Boca, que só então começou a  entender a dinâmica da partida  e passou a buscar espaços  com a movimentação melhor de seus jogadores.

O Santos, porém, se posicionava bem defensivamente,  de modo a não permitir a penetração dos jogadores do Boca.  Assim, os argentinos só conseguiam finalizar de fora da área. Fez isso duas vezes com Almendra e uma com Tevez,   todas sem dar trabalho a João Paulo.

Se o goleiro santista não era muito acionado, Rossi, o arqueiro do Boca, também não. O Santos buscava bastante o ataque pelo lado direito, com as subidas de Pará, mas os cruzamentos eram interceptados pela defesa. O time brasileiro não conseguiu finalizar.

A rigor, a primeira etapa teve uma grande chance de gol. Foi do Boca e, nela, João Paulo teve de trabalhar, e o fez bem. Pavón fez jogada individual pela direita, deu um drible desconcertante em Lucas Braga, que estava em sua marcação, e mandou a bomba. João Paulo espalmou.

Mas nem bem o segundo tempo havia começado e o Santos ficou em desvantagem no placar. Aos 2 minutos, Pavón cobrou escanteio,  Lizandro López desviou e Tevez entrou livre para marcar –  Marcos Leonardo deu condição de jogo ao ex-corintiano. Os santistas reclamaram muito, alegando que  no início do lance não foi escanteio e sim tiro de meta.

Percebendo que o time estava com dificuldade para reagir, Marcelo Fernandes procurou tornar o Santos mais ofensivo, colocando Kaio Jorge no lugar do volante Vinícius Balieiro.

Não adiantou. Além de continuar sem incomodar o Boca, o Santos ainda levou o segundo gol. Com o time todo avançado, Marinho, que nada fez em campo ontem, foi desarmado na entrada da área argentina. Na sequência,  Tevez puxou a jogada e tocou para Villa, que avançou  e tocou na saída de João Paulo, aos 23 minutos.

Com o jogo decidido, o Boca se resguardou, deixou o Santos martelar, mas nem susto tomou, pois nas chances que tiveram, Kaio Jorge e Madson erraram o alvo. Uma mostra, mais uma, que o Santos terá dias sombrios pela frente.

FICHA TÉCNICA

BOCA JUNIORS 2 X 0 SANTOS

BOCA JUNIORS - Rossi; Capaldo, Lizandro López, Izquierdoz e Sández; Almendra (Jara), Medina e Varela; Villa, Tevez (Soldano) e Pavón (Obando). Técnico:  Miguel Ángel Russo.

SANTOS -  João Paulo; Pará (Madson), Kaiky, Luan Perez e Felipe Jonathan; Alison,  Balieiro (Kaio Jorge) e Gabriel Pirani (Lucas Lourenço); Marinho,  Marcos Leonardo  (Jean Mota) e Lucas Braga (Ângelo). Técnico: Marcelo Fernandes (interino).

GOLS -  Tevez, aos 2, Villa, aos 23 minutos do 2º tempo.

ÁRBITRO - Jesus Valenzuela (Venezuela).

CARTÕES AMARELOS - Vinícius Balieiro,  Pará, Sández, Marcos Leonardo,  Pavón, Medina e Alison.

LOCAL - La Bombonera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.