Divulgação
Divulgação

Santos perde para o Sport e se complica na Copa do Brasil

Derrota por 2 a 1 na Ilha do Retiro obriga Alvinegro a ganhar na Vila

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

21 de maio de 2015 | 00h08

Diante do primeiro rival de peso que encontrou na Copa do Brasil, o Santos tropeçou. Na Ilha do Retiro, perdeu por 2 a 1 para o Sport, que teve seis desfalques na partida, e agora terá de vencer na Vila Belmiro para se classificar – a data ainda não está definida.  Dois problemas adicionais para a volta: Lucas Lima levou o terceiro cartão amarelo e está fora; Robinho ainda não renovou o seu contrato.  

Com 20 minutos, o jogo já estava empatado por 1 a 1. Contrariando aquela espécie de regra não escrita do futebol que prevê estudo do adversário e cautela, os dois times atacaram desde o início e economizaram os burocráticos toques de lado. 

Nesse contexto surpreendentemente ofensivo, cada time conseguiu aplicar o que tinha de melhor. O gol do Sport saiu da velocidade, movimentação e da habilidade de Régis, que ganhou a dividida com Werley antes de abrir o placar, isso aos três minutos.

O mérito dos pernambucanos foi começar com o peito estufado, fazendo valer o mando de campo, mesmo com seis desfalques, entre eles, dois pilares do time, como o goleiro Magrão e o meia Diego Souza. Não havia entrosamento, mas sobravam objetividade e velocidade.

O Santos, por sua vez, tem a técnica, a geometria do talento. De a bola de pé em pé, já havia feito o goleiro do Sport, Danilo Fernandes, ex-Corinthians, trabalhar duro em dois lances. Foi com uma régua que Robinho deixou Lucas Lima na cara do gol aos 20 minutos. Sem inventar, empatou.

O jogo foi movimentado, sem amarras, mas não foi sempre bonito. Dos dois lados, sobraram passes errados, que deixaram as jogadas picadas. O volante Valencia foi tão mal nesse quesito que acabou substituído por Elano. O técnico Marcelo Fernandes cansou de perder bolas fáceis no meio, mas, antes de tudo,  queria ganhar.

A aposta que o Sport começou a fazer no contra-ataque pareceu ser a única opção diante de um time mais técnico e mais arrumado. Com o peso dos desfalques, a solução era, de novo, a velocidade. Essa estratégia de risco deu certo aos 28. O meia Régis, o autor do primeiro gol, deixou David Braz falando sozinho e tocou para Renê fazer o segundo.

Além da falha da defesa, o Santos caiu na etapa final por vários motivos: Robinho cansou e acabou substituído; Geuvânio
sumiu. Na lista das individualidades, Lucas Lima perdeu o espaço que teve na etapa inicial. No jogo de volta, ele cumprirá suspensão pelo terceiro cartão amarelo. O Santos terá de vencer sem seu maestro.

FICHA TÉCNICA:

SPORT 2 x 1 SANTOS

GOLS - Régis, aos 3 e Lucas Lima aos 20 minutos do 1º tempo; Renê, aos 28 minutos do 2º tempo

SPORT - Danilo Fernandes; Vítor; Éwerthon Páscoa, Durval e Renê; Wendel, Rithely, Neto (Danilo) e Régis (William); Mike e Joelinton (Ítalo). Técnico: Eduardo Baptista.

SANTOS - Vladimir; Victor Ferraz, David Braz, Werley e Chiquinho; Valencia (Elano), Renato e Lucas Lima; Robinho (Gabriel), Ricardo Oliveira e Geuvânio (Lucas Crispim). Técnico: Marcelo Fernandes.

CARTÕES AMARELOS - Robinho, Joelinton, Ricardo Oliveira, Wendel

PÚBLICO E RENDA - Não divulgados

LOCAL - Ilha do Retiro, em Recife - Pernambuco

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do BrasilSantos FCSport

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.